Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Coluna

Mentalidade Vermelha — Poema

Imagem: Reprodução

Oh, Mentalidade vermelha

Que com foices abrem crânios

E com martelos esmagam a massa cinzenta

Esmagam a massa…

E cinza é o seu futuro

Non ego sum

Não me associo a eles

 

Não suporto a histeria

De bandeiras tristes e falsas

Nas praças

Ah, essas praças…

Sempre tão cheias deles…

Não têm muito o que fazer?

 

Cansei-me das queixas tristes

De artistas tristes

Que idealizam um mundo melhor

Que preguiça desses “mundos melhores”

Cansei-me deles

Et omnia vanitas

 

Dizem amar os pandas

Dizem amar as mulheres,

E os homens que se dizem mulheres

E o trabalhador

O empregado

O proletariado

O homem de cor

E a cor do homem

E ao bandido

E a vítima do bandido

Ao bandido que é vítima

E aquele que é

E ao mundo

E a humanidade…

Mentirosos, não amam nem suas mães

Que se envergonham de suas paixões

 

Oh mentalidade vermelha

Rubra, carmesim, escarlate…

Como muito é o sangue que derramaste

Non ego sum

Non ego sum

 

Poema de Anderson C. Sandes

Comentários

Jornal digital comprometido com a cobertura e a análise das principais pautas sobre política nacional e internacional | FALE CONOSCO: contato@conexaopolitica.com.br

Política

Leo Dias diz ter tido acesso a trecho de contrato publicado por produtora de conteúdo.

Política

Com mais de 20 mil seguidores, jovem vai na contramão de outros estudantes da Federal.

Entrevista

Grupo formado no interior de SC visa denunciar violações do Estado à liberdade de culto no país.

Mundo

Articulações do sucessor de Donald Trump continua recebendo gestos de desaprovação.