Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Congresso

Conexão Política e Brasil Paralelo terão sigilos quebrados, decide CPI

Outros 5 portais de espectro conservador também foram alvo da medida arbitrária.

Waldemir Barreto | Agência Senado

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 aprovou, nesta terça-feira (3), a quebra de sigilo bancário e fiscal do portal Conexão Política, da produtora Brasil Paralelo e outros cinco veículos de comunicação de espectro conservador.

O senadores retiraram de pauta o requerimento que pedia a mesma medida contra a rádio Jovem Pan, mas mantiveram na mira do colegiado, além de CP e BP, os sites Renova Mídia, Terça Livre, Senso Incomum, Crítica Nacional e Jornal da Cidade Online.

A suspeita dos congressistas é que haja financiamento para difusão de fake news sobre a pandemia da Covid-19. Sobre o caso, o Conexão Política já emitiu nota oficial em que nega esse tipo de acusação infundada, salientando a conduta de não aceitar verbas públicas está inserida em nossos princípios editoriais (leia aqui).

Conforme já noticiado por este jornal digital, ao acessar a íntegra dos pedidos apresentados contra os veículos de comunicação (clique AQUI para ler), percebe-se que eles são absolutamente semelhantes, mudando apenas as informações relativas aos dados de quem será alvo da medida.

Em amadorismo vergonhoso, os requerimentos assinados por Renan Calheiros (MDB-AL) e Humberto Costa (PT-PE) são revestidos de copia e cola. No caso do Conexão Política, não foi apresentado absolutamente nenhum link de matéria publicada por nós que possa sustentar a narrativa de que sejamos “disseminadores de desinformação”.

Leia também:  Requerimento de senadores da CPI contra Conexão Política é genérico e frágil

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Congresso

Presidente da Câmara afirma que iniciativa foge ao escopo da CPI.

Congresso

Comissão também enviará relatório final a tribunais internacionais e órgãos de controle.

Congresso

Ele é apontado como sócio oculto da empresa FIB Bank Garantias S.A..

Congresso

Advogado defende a retirada de "poderes imperiais" da PGR e do presidente da Câmara.