Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Congresso

Com mudanças para 2022, Congresso promulga PEC da reforma eleitoral

Alterações incluem contagem em dobro de votos dados a mulheres e pessoas negras.

Element5 Digital | Unsplash

O Congresso Nacional promulgou nesta terça-feira (28) a reforma eleitoral estabelecida pela Emenda Constitucional (EC) 111. As novas regras já serão aplicadas a partir das eleições de 2022.

Aprovado no Senado na semana passada, o texto prevê a contagem em dobro dos votos dados a candidatos negros, índios e mulheres para efeito da distribuição dos recursos dos fundos partidário e eleitoral nas eleições de 2022 a 2030.

A medida também abre uma possibilidade para deputados e vereadores não perderem o mandato se deixarem os partidos, desde que haja anuência das legendas para essa saída.

Além disso, fica prevista a mudança na data das posses de presidente da República e governadores. No caso do primeiro, a posse será no dia 5 de janeiro, e no dos governadores, no dia seguinte, 6 de janeiro. Essa mudança valerá a partir da eleição de 2026.

Para o presidente do Congresso, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), a reforma é “enxuta, mas com preceitos que contribuem para o equilíbrio da atividade política brasileira”.

Outro trecho mantido foi a possibilidade de realização de plebiscitos municipais durante o processo eleitoral. A ideia é utilizar a estrutura já dispensada nas eleições em plebiscitos que sejam necessários em determinado município. Medida semelhante é empregada, por exemplo, nas eleições dos Estados Unidos.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Judiciário

Eleitores poderão comunicar à Justiça Eleitoral a disseminação de fake news.

Política

A menos de quarto meses para o Primeiro Turno das eleições, grupos políticos intensificam análises e estratégias internas.

Congresso

2022 está na metade, mas já empatou com 2014 na quantidade de emendas à Carta Magna.

Política

Ex-presidente afirma receber pedidos para que concorra novamente ao Planalto.