Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Congresso

Congresso retoma trabalho com pauta congestionada

Retorno ocorre em meio a polêmicas sobre alta dos combustíveis.

Marcelo Camargo | Agência Brasil

Com a presença dos presidentes Jair Bolsonaro, da República, Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), e do procurador-geral da República, Augusto Aras, uma sessão solene no plenário da Câmara dará início nesta quarta-feira (2), às 16h, ao ano legislativo.

A cerimônia será semipresencial, com a participação de deputados e senadores presencialmente ou por videoconferência.

Segundo a organização do evento, o uso de máscaras nas dependências do Congresso é obrigatório. Também serão observados, conforme registro da Agência Brasil, aspectos como a diminuição no quantitativo da equipe de trabalho, distanciamento social, disponibilização de álcool em gel.

Rito

Como todos os anos, a sessão, coordenada pelo presidente do Congresso, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), começará com a leitura da mensagem presidencial. Nela, Bolsonaro deve fazer um balanço de seu mandato, das ações adotadas durante a pandemia e indicar as prioridades do governo federal para este ano.

Em seguida, discursarão os presidentes do Supremo, Luiz Fux, da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) e, por último, do Senado, Pacheco.

Tradicionalmente, a cerimônia de abertura dos trabalhos segue protocolo que prevê, antes da sessão, a execução do Hino Nacional pela banda do Batalhão da Guarda Presidencial, ao mesmo tempo em que é hasteada a Bandeira do Brasil no Senado e na Câmara e realizada salva de 21 tiros de canhão pelo 32º Grupo de Artilharia de Campanha (Bateria Caiena), do Exército.

Em seguida, o presidente Rodrigo Pacheco faz a revista à tropa. Depois, ele e o presidente da Câmara sobem a rampa do Congresso para receber o presidente da República, acompanhado pelo chefe do cerimonial da Presidência do Senado.

Sessões

Na Câmara, por causa do avanço da variante Ômicron do novo coronavírus no país, os trabalhos ocorrerão de forma remota pelo menos até o Carnaval. No Senado, que tem número bem menor de parlamentares, o formato será semipresencial e reavaliado pelo presidente da Casa quando necessário.

Comentários

FALE COMIGO: raul@conexaopolitica.com.br — diretor de redação do Conexão Política e natural de Recife (PE).

Congresso

2022 está na metade, mas já empatou com 2014 na quantidade de emendas à Carta Magna.

Congresso

É o que afirma a pesquisa Datafolha, que ouviu 3.666 pessoas entre 13 e 16 de dezembro.

Congresso

Presidentes afirmam que o caso das emendas do relator é assunto interno do Legislativo.

Judiciário

Bruno Bianco enviou parecer em ação ajuizada pelo PDT.