Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Economia

Balança comercial tem superávit na terceira semana de fevereiro

A balança comercial brasileira apresentou, na terceira semana de fevereiro, superávit de US$ 520 milhões, segundo dados divulgados hoje (2) pela Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia. Em um período de cinco dias úteis, as exportações chegaram a US$ 3,966 bilhões e as importações, a US$ 3,446 bilhões, ficando a corrente de comércio em US$ 7,412 bilhões.

A média das exportações da terceira semana de fevereiro ficou em US$ 793,2 milhões, 5,5% abaixo da média de US$ 839,8 milhões até a segunda semana. Segundo o Ministério da Economia, a redução ocorreu devido à queda nas exportações de produtos semimanufaturados e básicos. No mês, as exportações somam US$ 12,364 bilhões e as importações, US$ 11,259 bilhões, com saldo positivo de US$ 1,105 bilhão e corrente de comércio de US$ 23,624 bilhões.

No período, houve uma redução de 10,7%, de US$ 100,1 milhões  para US$ 89,4 milhões, no segmento de semimanifaturados, em especial na celulose, ferro fundido, ouro, ferro ou aço e também no óleo de soja em bruto.

Houve queda de 8,5% nas exportações de produtos básicos, especialmente em produtos como petróleo em bruto, carnes bovina e de frango, minério de cobre, café em grão e fumo em folhas. Com isso, a balança de exportações, no segmento, fechou em US$ 412,1 milhões, contra os US$ 450,2 milhões da segunda semana.

O Ministério da Economia destaca que houve pequeno crescimento nas exportações de manufaturados de 0,8%, passando de US$ 289,5 milhões para US$ 291,7 milhões, em razão, principalmente, de óleos combustíveis, veículos de carga, suco de laranja não congelado, torneiras, válvulas e partes, máquinas e aparelhos para terraplanagem.

Do lado das importações, apontou-se queda de 11,8%, sobre igual período comparativo (média da terceira semana, US$ 689,1 milhões sobre média até a segunda semana, US$ 781,4 milhões), explicada, principalmente, pela diminuição nos gastos com equipamentos mecânicos, farmacêuticos, cobre e suas obras, adubos e fertilizantes, equipamentos eletroeletrônicos.
A análise do mês mostra que, na comparação entre a terceira fevereiro de 2019 (US$ 786,9 milhões) e o mesmo período de 2020  (US$ 824,3 milhões), houve aumento de 4,8% nas exportações. A alta foi puxada especialmente pela venda de petróleo em bruto, algodão em bruto, carnes bovina, suína e de frango e minério de cobre.
Por outro lado, caíram as vendas de produtos semimanufaturados em 1,2%, passando de US$ 97,7 milhões para US$ 96,6 milhões, principalmente por conta da celulose, ouro em formas semimanufaturadas, semimanufaturados de ferro/aço, açúcar em bruto, couros e peles. Os produtos manufaturados também apresentaram uma redução de 0,7%, passando de US$ 292,2 milhões para US$ 290,2 milhões, por conta de aviões, automóveis de passageiros, partes de motores e turbinas para aviação, suco de laranja não congelado e laminados planos de ferro ou aço.

Relativamente a janeiro/2020, houve crescimento de 25,6%, em virtude do aumento nas vendas de produtos básicos (+33,9%, de US$ 326,8 milhões para US$ 437,5 milhões) e manufaturados (+25,4%, de US$ 231,4 milhões para US$ 290,2 milhões), enquanto diminuíram as exportações de produtos semimanufaturados (-1,7%, de US$ 98,2 milhões para US$ 96,6 milhões).

Nas importações, a média diária até a terceira semana de fevereiro/2020, de US$ 750,6 milhões, ficou 18,9% acima da média de fevereiro/2019 (US$ 631,1 milhões). Nesse comparativo, cresceram os gastos, principalmente com equipamentos mecânicos (+131,0%), combustíveis e lubrificantes (+19,0%), farmacêuticos (+17,2%), químicos orgânicos e inorgânicos (+11,6%), plásticos e obras (+10,8%). Ante janeiro/2020, houve crescimento de 2,1%, pelos aumentos em equipamentos mecânicos (+83,0%), combustíveis e lubrificantes (+20,5%), farmacêuticos (+10,3%), plásticos e obras (+6,7%), químicos orgânicos e inorgânicos (+5,8%).

Com informações, Agência Brasil.

Comentários

FALE COMIGO: davy@conexaopolitica.com.br — chefe de redação do Conexão Política e natural do Rio de Janeiro (RJ).

Economia

Saldo superou as expectativas projetadas pelas instituições financeiras.

Economia

Instituições consultadas pelo Banco Central também esperam alta no PIB para 2022.

Economia

Aumento está relacionado à expansão do comércio online, diz associação.

Política

Foram apreendidos quase R$ 2 milhões na residência de Adriana Belém

----- CLEVER ADS -----