Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Economia

Turismo nacional fechou novembro com faturamento de R$ 14,7 bilhões

Apesar de positivos, resultados ainda não voltaram ao patamar de 2019.

Raphael Nogueira | Unsplash

O setor de turismo fechou novembro do ano passado com faturamento de R$ 14,7 bilhões, 19,3% superior ao registrado no mesmo mês de 2020, mas 15,5% inferior a novembro de 2019, no período pré-pandemia.

Esta foi a oitava elevação mensal seguida do faturamento do setor. Os dados, divulgados nesta última quarta-feira (19), são da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

O destaque do mês foi o transporte aéreo, que superou em 63,3% o faturamento de novembro do ano anterior. Apesar disso, o faturamento do mês, de R$ 4,3 bilhões, ainda está 19% abaixo quando comparado a 2019.

O grupo hotéis, pousadas e restaurantes também se destacou.  No penúltimo mês do ano, o faturamento do grupo foi de R$ 4,4 bilhões – alta anual de 13,1%, porém, ainda 16,8% inferior ao nível anterior à pandemia.

De acordo com a entidade, apesar dos bons resultados apresentados em novembro, os próximos meses ainda deverão ser incertezas para o turismo nacional. Com a chegada da variante Ômicron, o cenário se transformou e os números de dois meses atrás não refletem o impacto da nova onda de covid-19 em 2022.

“O volume de reservas e as manifestações de intenção de viagens se concretizaram em negócios. Isso animou os empresários do setor. É bem possível que os resultados de dezembro sejam também bastante positivos, e a mudança de cenário se dê, infelizmente, nos números de janeiro, por causa da variante Ômicron no país”, declarou Mariana Aldrigui, presidente do Conselho de Turismo da FecomercioSP.

Com informações, Agência Brasil.

Comentários

FALE COMIGO: davy@conexaopolitica.com.br — chefe de redação do Conexão Política e natural do Rio de Janeiro (RJ).

Política

Todos devem cumprir a legislação eleitoral para apto ao pleito deste ano.

Política

Para eleitores, a fatores econômicos devem ser prioridade.

Governo

Previsão de investimentos é de R$ 110 bilhões.

Mundo

Primeiras ações estão previstas para o segundo semestre deste ano.