Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Economia

Tesouro Direto tem maior número de investidores da história

Aplicações de até R$ 1 mil representaram 59,99% das operações em maio.

Maxim Hopman | Unsplash

O Ministério da Economia divulgou nesta segunda-feira (27) o balanço referente às movimentações do Tesouro Direto de maio de 2022. Segundo a pasta, o total de investidores ativos que atualmente têm saldo em aplicações atingiu a marca de 1.974.879 pessoas — aumento de 39.702 investidores no mês.

Já os investidores cadastrados no Tesouro Direto, não necessariamente com saldo em conta, passaram a 18.953.067, um acréscimo de 561.064 no mês, numa alta de 72,39% em relação a maio de 2021.

O Balanço do Tesouro Direto é divulgado mensalmente desde setembro de 2003. Os atuais valores são os maiores desde o início da série histórica.

Em maio deste ano, as vendas de títulos públicos federais por meio do Tesouro Direto atingiram R$ 3,9 bilhões. No mesmo mês, foram resgatados R$ 2,14 bilhões. Dessa forma, a emissão líquida, ou seja, o saldo entre papéis emitidos menos os títulos resgatados, foi de R$ 1,76 bilhão.

Aplicações de até R$ 1 mil representaram 59,99% de todas as operações de investimento mensais, mas o valor médio por operação foi de R$ 6.510,26.

O grupo mais demandado pelos investidores foi o indexado à Selic (Tesouro Selic), cuja participação nas vendas atingiu 56,5%. Os títulos indexados à inflação (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais) corresponderam a 32,7% do total e os prefixados, a 10,9%.

Entre os títulos resgatados, o equivalente a pouco mais de R$ 2,05 bilhões foi readquirido pelo Tesouro Nacional, pelos preços de mercado na data da transação, e o correspondente a cerca de R$ 92,4 milhões foi relativos à data de vencimento – pelos quais o investidor recebe o valor integral da rentabilidade definida no momento da compra.

Quanto ao prazo, a maior parcela de vendas se concentrou nos títulos com vencimento entre 1 e 5 anos, que alcançaram 79,99% do total. As aplicações em títulos com vencimento acima de dez anos representaram 17,94%, enquanto os títulos com vencimento de cinco a dez anos corresponderam a 2,06% do total.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

----- CLEVER ADS -----