Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Governo

Bolsonaro diz que privatização da Petrobras ‘entrou no radar’ do governo

Presidente ressalta que processo de venda da petroleira é uma ‘complicação enorme’.

Tânia Rêgo | Agência Brasil

O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou nesta segunda-feira (25) que a desestatização da Petrobras “entrou no radar” do governo. Ele ressaltou, no entanto, que o processo é uma “complicação enorme”.

De acordo com o chefe do Executivo, a privatização da petroleira, sem outras medidas mais aprofundadas, pode criar um monopólio de um ente privado e não trazer melhoras para o consumidor final.

“Isso [privatização] entrou no nosso radar. Mas privatizar qualquer empresa não é, como alguns pensam, pegar a empresa, botar na prateleira e amanhã quem dá mais leva embora. É uma complicação enorme, ainda mais quando se fala em combustível”, declarou.

“Se tirar do monopólio do Estado, que existe, e botar no monopólio de uma pessoa particular, fica a mesma coisa ou talvez até pior” acrescentou.

O mandatário voltou a afirmar que não pode interferir “em nada” sobre a política de preços da companhia e também criticou a forma de cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

“Quanto mais aumenta o combustível melhor é para governadores, eles faturam muito mais e quem paga a conta? É o governo federal”, disse.

O recente posicionamento do presidente representa uma mudança de opinião com relação ao início do mandato. Num primeiro momento, Bolsonaro não autorizava discutir a capitalização da petroleira, do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Economia

Resultado foi comemorado pelo setor de Infraestrutura do governo federal.

Judiciário

Em recurso contra Palocci, estatal reconhece 'existência de um esquema de corrupção'.

Economia

Segundo a estatal, essa distribuição se soma aos R$ 31,6 bilhões anunciados em agosto deste ano.

Política

Pedetista criticou a intenção do governo federal de quebrar o monopólio da petroleira.