Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Governo

Queiroga reage a governadores que ignoram ‘prescrição médica’ em vacinação infantil

Maioria dos Estados não pretende exigir recomendação médica para vacinar crianças.

Myke Sena | MS

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, veio a público nesta quarta-feira (30) para criticar prefeitos e governadores que anunciaram o não seguimento da orientação da pasta sobre a vacinação infantil.

Conforme vem registrando o Conexão Política, o Ministério tem orientado processo de imunização em crianças de 5 a 11 anos apenas com prescrição médica.

Para Queiroga, os Estados e Municípios estão usurpando o papel das secretarias locais.

“Governadores falam em [não exigir] prescrição [médica]. Prefeitos falam em [não exigir] prescrição. Pelo que eu sei, a grande maioria deles não é médico, então eles estão interferindo nas suas secretarias estaduais e municipais”, afirmou o ministro.

“Isso é um assunto já pacificado. A recomendação do Ministério [da Saúde] está aí, para que todos os brasileiros tomem conhecimento, para que a sociedade civil possa se manifestar. A consulta pública é um instrumento da democracia, amplia a discussão sobre o tema e dá mais tranquilidade aos pais para que eles possam levar os seus filhos às salas de vacinação”, acrescentou.

Comentários

FALE COMIGO: raul@conexaopolitica.com.br — diretor de redação do Conexão Política e natural de Recife (PE).

Governo

Em discurso, Marcelo Queiroga citou a alta taxa de imunização em solo brasileiro.

Últimas

Anvisa ainda não liberou a utilização do autoteste no país

Mundo

Integrantes do governo Biden acreditavam que a Corte manteria a regra.

Últimas

No Brasil, apenas a vacina da Pifzer tem aprovação para uso pediátrico