Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Judiciário

Governador do Amazonas se torna réu por desvio de recursos na pandemia

STJ aceitou denúncia contra Wilson Lima e mais 13 pessoas.

Isac Nóbrega | PR

Por unanimidade, a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) aceitou nesta segunda-feira (20) denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), e mais 13 pessoas. Com a decisão, todos passam à condição de réus e vão responder a um processo criminal.

Wilson Lima é acusado de chefiar uma organização criminosa, da qual participaram os demais denunciados, responsável por desviar recursos na compra de respiradores durante a pandemia da Covid-19. Ele também foi acusado de fraudes em licitação e peculato.

O colegiado seguiu voto proferido pelo relator, ministro Francisco Falcão. Durante a leitura do voto, Falcão afirmou que documentos encontrados no gabinete do mandatário indicam que ele tinha conhecimento do processo de aquisição fraudulenta de 28 respiradores vendidos ao governo estadual por uma importadora de vinhos, com dispensa de licitação.

Outro indício de envolvimento do governador seria o fato de ele ter ido pessoalmente ao aeroporto receber, em 7 de abril do ano passado, 19 desses equipamentos, sendo que a compra somente foi efetivada pelo governo amazonense no dia seguinte.

Falcão afirmou ainda que “existe justa causa para se considerar o governador do Amazonas partícipe nos delitos de dispensa de licitação e partícipe da fraude na aquisição de 28 respiradores que tiveram preços elevados com abusividade”.

O relator também afirmou considerar que “o governador exercia o comando da organização criminosa engendrada na cúpula do governo do Amazonas, que visava a prática de delitos de fraude, dispensas de licitação indevidas e peculato”.

Por falta de provas, o ministro recusou a abertura de ação penal em relação a dois denunciados, incluindo o atual chefe da Casa Civil do Amazonas, Flávio Cordeiro Antony Filho.

Outro lado

Em nota, Wilson Lima declarou que nunca recebeu qualquer benefício e que as acusações contra ele não têm fundamento.

“As acusações contra mim não têm fundamento e tampouco base concreta, como ficará provado no decorrer do julgamento. Nunca recebi qualquer benefício em função de medidas que tomei como governador”, diz o texto.

“A acusação é frágil e não apresenta nenhuma prova ou indício de que pratiquei qualquer ato irregular. Agora terei a oportunidade de apresentar minha defesa e aguardar, com muita tranquilidade, a minha absolvição pela Justiça. Tenho confiança na Justiça e a certeza de que minha inocência ficará provada ao final do processo”, finaliza.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Judiciário

Decisão prevê que gestão de pessoas será feita pelo presidente Jair Bolsonaro ou por pessoa indicada.

Judiciário

Órgão diz que aquisição de respiradores foi considerada irregular e com sobrepreço.

Judiciário

Novas diretrizes para realização das provas foram divulgadas em ato normativo do CNJ.

Judiciário

Cidade da Baixada Fluminense foi a primeira a retirar obrigatoriedade do item.