Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Judiciário

Moraes autoriza transferência de Jefferson para tratamento médico em hospital

Ex-deputado terá que usar tornozeleira eletrônica, não poderá dar entrevistas nem usar redes sociais.

Tânia Rêgo | Agência Brasil

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou neste sábado (4) a transferência do ex-deputado Roberto Jefferson, presidente do PTB, para um hospital particular na capital fluminense.

Com isso, Jefferson deixará a penitenciária de Bangu 8, onde estava detido desde 13 de agosto. Na decisão, Moraes diz que a contrapartida será que o político seja monitorado por tornozeleira eletrônica.

Nos últimos dias, o ex-parlamentar apresentou problemas de saúde e precisou ser internado por várias vezes. A administração do presídio já informou que não possui estrutura para tratá-lo adequadamente em suas dependências.

“Assim, consideradas as alegações da defesa em relação ao quadro de saúde do preso e verificando a necessidade de tratamento médico fora do estabelecimento prisional, vislumbro ser possível a autorização para a saída do custodiado, conforme, inclusive, parecer da Procuradoria-Geral da República”, escreveu o ministro.

Além da tornozeleira eletrônica, Roberto Jefferson deverá cumprir as seguintes determinações:

a) não poderá receber visitas no hospital, salvo de houver autorização judicial prévia ou se os visitantes forem familiares;

b) não poderá ter acesso ou contato com os demais investigados de seu caso;

c) não poderá frequentar ou acessar redes sociais, nem mesmo por meio de sua assessoria de imprensa;

d) não poderá conceder entrevistas.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Judiciário

PDT, PCB e PSOL questionam dispositivos da lei sancionada em julho de 2020.

Política

Presidente da CCJ não definiu data, mas arguição deve ocorrer na semana que vem.

Últimas

Ministro determinou avaliação de saúde do ex-médico, condenado por diversos estupros.

Judiciário

Pedido de vista de Ricardo Lewandowski adiou julgamento.