Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Judiciário

Moraes autoriza transferência de Jefferson para tratamento médico em hospital

Ex-deputado terá que usar tornozeleira eletrônica, não poderá dar entrevistas nem usar redes sociais.

Tânia Rêgo | Agência Brasil

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou neste sábado (4) a transferência do ex-deputado Roberto Jefferson, presidente do PTB, para um hospital particular na capital fluminense.

Com isso, Jefferson deixará a penitenciária de Bangu 8, onde estava detido desde 13 de agosto. Na decisão, Moraes diz que a contrapartida será que o político seja monitorado por tornozeleira eletrônica.

Nos últimos dias, o ex-parlamentar apresentou problemas de saúde e precisou ser internado por várias vezes. A administração do presídio já informou que não possui estrutura para tratá-lo adequadamente em suas dependências.

“Assim, consideradas as alegações da defesa em relação ao quadro de saúde do preso e verificando a necessidade de tratamento médico fora do estabelecimento prisional, vislumbro ser possível a autorização para a saída do custodiado, conforme, inclusive, parecer da Procuradoria-Geral da República”, escreveu o ministro.

Além da tornozeleira eletrônica, Roberto Jefferson deverá cumprir as seguintes determinações:

a) não poderá receber visitas no hospital, salvo de houver autorização judicial prévia ou se os visitantes forem familiares;

b) não poderá ter acesso ou contato com os demais investigados de seu caso;

c) não poderá frequentar ou acessar redes sociais, nem mesmo por meio de sua assessoria de imprensa;

d) não poderá conceder entrevistas.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Política

Cumprimento entre os dois aconteceu em evento no Tribunal Superior do Trabalho.

Últimas

Grupo que trabalha no Palácio do Planalto produzirá relatórios sobre o ministro.

Judiciário

Presidente alega, entre outras coisas, que o ministro não permite acesso da defesa aos autos.

Judiciário

Notícia-crime foi apresentada pelo presidente há menos de 24 horas.