Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Judiciário

TCU vai investigar compra de Viagra pelas Forças Armadas

Ministério da Defesa diz que medicamento é usado para tratar hipertensão.

Evelynne Gubert | TCU | Flickr

O Tribunal de Contas da União (TCU) abriu uma representação para apurar a licitação pelas Forças Armadas de 35 mil comprimidos de citrato de sildenafila, substância mais conhecida como Viagra, que se tornou famosa por ser utilizada no tratamento de disfunção erétil.

O caso será relatado pelo ministro Weder de Oliveira e tem por objeto apurar o suposto “desvio de finalidade em compras de 35.320 comprimidos de citrato de sildenafila […] e a comprovação de superfaturamento de 143%”, conforme informações do processo.

A situação foi trazida à tona pelo deputado Elias Vaz (PSB-GO), que na segunda-feira (11) publicou nas redes sociais a compra do remédio pelas Forças Armadas, tendo como base informações do Portal da Transparência. O parlamentar enviou requerimento pedindo explicações ao Ministério da Defesa.

Outro lado

Em nota oficial, o Ministério da Defesa justificou a aquisição afirmando que “a sildenafila visa o tratamento de pacientes com Hipertensão Arterial Pulmonar (HAP)”.

A pasta acrescentou que os “processos de licitação e compra de medicamentos seguem os preceitos legais previstos e as demandas do Sistema de Saúde do Exército, responsável por prover assistência médico-hospitalar a militares e seus dependentes, totalizando mais de 700 mil pessoas”.

O Exército, a Marinha e a Aeronáutica também divulgaram comunicado reafirmando que o objetivo é utilizar a substância para o tratamento de hipertensão arterial pulmonar.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Judiciário

Conclusão faz parte da 3ª fase do relatório de auditoria sobre o sistema eletrônico.

Política

Em março, tribunal juntou representação sobre ‘práticas ilegítimas’ e aprofundou investigações contra o ex-juiz.

Últimas

Subprocurador-geral Lucas Furtado solicita medida cautelar.

Judiciário

Em dezembro de 2021, senador foi eleito pelos colegas para integrar a Corte.

----- CLEVER ADS -----