Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Judiciário

TSE comprará mais de 170 mil urnas eletrônicas por R$ 1,17 bilhão

Empresa Positivo Tecnologia venceu licitação para aquisição dos itens.

Sebastian Ferreira | Flickr

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou nesta última segunda-feira (27) que a empresa Positivo Tecnologia venceu mais uma licitação para o fornecimento de urnas eletrônicas. Trata-se de um contrato de R$ 1,179 bilhão para a compra de até 176 mil equipamentos.

O valor supera os cerca de R$ 800 milhões por 180 mil urnas de uma licitação anterior, vencida pela Positivo em julho de 2020 – esses primeiros equipamentos encontram-se em produção e deverão ser utilizados já nas eleições gerais de 2022.

A diferença de preços se deve ao “atual cenário de crise mundial decorrente do desabastecimento de insumos eletrônicos e seus desdobramentos na cadeia produtiva e nos preços praticados”, segundo a presidente da Comissão Permanente de Licitação do TSE, Nathalia dos Santos Costa.

O novo contrato prevê a compra do modelo de urna UE2022, que deverá ser utilizado somente nas eleições de 2024. Outros produtos e serviços também deverão ser fornecidos, como a entrega de peças de reposição, novo desenvolvimento de equipamentos e software básico, bem como a instalação de mídias de Aplicação e de Resultado.

A Positivo também deve elaborar o projeto para a embalagem das máquinas e documentos técnicos de especificação, bem como o treinamento, por meio de kits de desenvolvimento de firmwares.

A compra periódica de novas urnas eletrônicas é necessária para substituir as que se tornam obsoletas. A vida útil estipulada para os equipamentos é de 10 anos ou sua utilização por seis eleições ordinárias seguidas. A previsão é de que em 2022 a Justiça Eleitoral conte com 557 mil urnas.

Com informações, Agência Brasil.

Comentários

FALE COMIGO: davy@conexaopolitica.com.br — chefe de redação do Conexão Política e natural do Rio de Janeiro (RJ).

Últimas

Corte cassou registro e diploma de candidatos envolvidos em fraude de cota de gênero.

Últimas

Novo pleito deverá ser coordenado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais.

Política

Arrecadação pode começar a partir do dia 15 deste mês

Política

Em ofício encaminhado a Edson Fachin, Ministério da Defesa pede divulgação integral dos dados.