Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Preocupação do G7 com eleição em Hong Kong é ‘interferência’, diz China

Porta-voz do regime comunista criticou países que ‘usam o tom de um professor de democracia’.

Carlos de Souza | Unsplash

O Ministério das Relações Exteriores da China afirmou nesta terça-feira (10) que a expressão de preocupação do Grupo dos Sete (G7) sobre o processo de seleção do novo presidente-executivo de Hong Kong foi uma “interferência” nos assuntos internos do país comunista.

De acordo com o porta-voz Zhao Lijian, alguns regimes optaram por “desconsiderar as melhorias na democracia de Hong King”.

Na segunda (9), o grupo das 7 mais relevantes economias do planeta (França, Alemanha, Canadá, Itália, Japão, Reino Unido e Estados Unidos) afirmou que a escolha do novo líder em Hong Kong é fonte de preocupações mais amplas sobre as liberdades fundamentais.

“Certos países e instituições ocidentais conspiraram para difamar maliciosamente a eleição do chefe executivo em Hong Kong, uma interferência irresponsável nos assuntos internos da China, à qual a China se opõe resolutamente e condena fortemente”, disse o porta-voz.

Zhao também criticou as nações que “usam o tom de um professor de democracia para dar palestras sobre as eleições democráticas na Hong Kong da China”, acrescentando que “os países e as instituições relevantes devem respeitar a soberania chinesa”.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Saúde

Todas hipóteses sobre surgimento do vírus permanecem à mesa, garantiu o diretor da entidade.

Mundo

No país comunista, o setor automotivo foi o mais afetado pelo fechamento da economia.

Mundo

"Este é um aviso solene contra a recente aliança", disse um porta-voz do exército chinês.

Governo

Vice disse que 'ruídos' durante a pandemia não prejudicaram a diplomacia junto ao país comunista.