Conecte-se conosco

Mundo

Fujimori alega ‘falsificação’ e pede anulação de 200 mil votos no Peru

Peruanos marcharam em rejeição à suposta fraude que teria ocorrido a favor do candidato de esquerda Pedro Castillo.

Published

em

GSPM Latam | Flickr

A candidata à Presidência do Peru pelo partido de direita Força Popular, Keiko Fujimori, apresentou ações de nulidade em 802 mesas eleitorais em que sua formação partidária alega ter constatado irregularidades, que representam cerca de 200 mil votos, que a postulante espera que “sejam retirados da apuração final”.

Fujimori compareceu acompanhada de dois advogados para relatar a apresentação dessas ações ao Júri Eleitoral Nacional (JNE), que pode admiti-las para que os votos sejam anulados. “Além disso, estamos monitorando o processo de contestação, que é de 1.200 atas [documentos comprovativos do resultado da eleição], que esperamos que posteriormente sejam contadas na contagem final do JNE”, declarou.

A candidata do Força Popular afirmou que, se as 1.200 atas apontadas, que representam 300 mil votos, forem somadas aos 200 mil votos das 802 mesas em que foram apresentados pedidos de anulação, “ainda estão em jogo 500 mil votos” do pleito presidencial.

“Acreditamos que seja fundamental que [os 500 mil votos] sejam analisados ​​para a apuração final que o Júri Eleitoral Nacional deve fazer”, acrescentou Fujimori.

Na segunda-feira (7), ela denunciou “fraude mesária” do partido de esquerda Peru Livre, seu rival nas eleições, do comunista Pedro Castillo, que foi proclamado vencedor na terça-feira (8).

Resultados

Na quinta-feira (11), o Escritório Nacional de Processos Eleitorais (ONPE) inseriu 100% dos registros eleitorais em seu sistema, restando apenas 0,705% do total para apuração.

Com 100% dos registros eleitorais processados ​​e 99,295% apurados, Pedro Castillo aparece como o candidato com mais votos e embora ainda haja 0,705% dos votos a serem apurados, e esse percentual é superior ao que separa Castillo da candidata Keiko Fujimori (0,40 ponto percentual),

Até agora, o candidato de esquerda tem 50,195% dos votos válidos (8.803.629 votos) com uma vantagem de 68.473 votos sobre a candidata de direita, que obteve 49,805% dos votos, segundo o órgão eleitoral peruano (ONPE).

#RespetaMiVoto

Na quarta (9), centenas de peruanos marcharam pacificamente em rejeição à suposta fraude que teria ocorrido nas seções eleitorais a favor de Castillo no segundo turno das eleições.

Segundo o jornal El Comercio, os manifestantes chegaram perto das instalações do Júri Nacional de Eleições (JNE), onde foi instalado um palco.

A passeata, que recebeu o nome de #RespetaMiVoto, foi dominada pelas cores branca e vermelha das camisas do time peruano de futebol e faixas com slogans como “Não se intrometa com meu voto. #FraudeEnMesa” e “Não quero uma ditadura como a venezuelana. Quero viver em paz, liberdade e democracia”.

Tanto simpatizantes da candidata Fujimori quanto grupos anticomunistas e antiterroristas – presentes devido aos supostos vínculos do candidato Castillo com as organizações de fachada de grupos subversivos – se reuniram no Campo de Marte do bairro Jesús María, na capital peruana.

“Cada voto emitido será defendido com força de lei. A cultura ‘Pepe el Vivo’ [refere-se a um tipo de atuação, ou modo de viver, em que o único importante ‘sou eu’] não deve prevalecer para distorcer a vontade popular! Espera-se que os órgãos eleitorais estejam à altura da ocasião. Viva o Peru”, escreveu no Twitter o vice-almirante aposentado e ex-congressista peruano, Carlos Tubino.

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.