Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Papa Francisco pede gastos com educação, não com armas

Pontífice pediu a proibição de armas nucleares e que os fundos militares ajudem na distribuição de vacinas.

Carlos Garzón | Flickr

Em sua mensagem de paz anual, o papa Francisco afirmou que as nações deveriam reverter o dinheiro com armamentos para o setor educacional.

Na carta divulgada nesta terça-feira (21) para o dia 1º de janeiro, o Dia Mundial da Paz da Igreja Católica, o pontífice também pediu um equilíbrio maior entre uma economia de livre mercado e a necessidade de ajudar os necessitados e proteger o meio ambiente.

Ele dedicou cerca de um terço da mensagem de quatro páginas à educação, dizendo que houve uma “redução significativa” nos gastos com educação no planeta, enquanto as verbas militares aumentaram acima dos níveis do final da Guerra Fria e “parece certo que crescerão exorbitantemente”.

“Está mais do que na hora, então, de os governos desenvolverem políticas econômicas que visem inverter a proporção de fundos públicos gastos com educação e com armamentos”, disse o líder religioso no recado, que foi enviado a chefes de Estado e a organizações internacionais.

“A busca de um processo genuíno de desarmamento internacional só pode se mostrar benéfica para o desenvolvimento de povos e nações, liberando recursos financeiros melhor usados para saúde, escolas, infraestrutura, cuidados com a terra e assim por diante”, acrescentou.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Congresso

Paulo Eduardo Martins diz que a ideia pode elevar os índices educacionais do país.

Últimas

Pais e professores afirmam que é preciso recuperar aprendizagem

Últimas

Primeira mudança deve ser ampliação da carga horária

Economia

Varejo registrou 43,9 milhões de exemplares comercializados este ano.