Conecte-se conosco

Mundo

Governo israelense é denunciado ao Tribunal Penal Internacional por violação do Código de Nuremberg

Published

em

Tingey Injury Law Firm | Unsplash

Em 5 de março, uma denúncia foi apresentada no Tribunal Penal Internacional (TPI) em Haia, pelos advogados Ruth Makhacholovsky e Aryeh Suchowolski, a respeito de violações do Código de Nuremberg pelo governo israelense e outras partes. De acordo com a reportagem do Database Italia, a queixa apresentada no Tribunal de Haia foi mantida e agora aguarda-se a decisão da Corte.

A organização ‘People of Truth‘ ingressou com a denúncia contra o governo israelense, que, segundo ela, está realizando experiências ilegais em cidadãos israelenses por meio da vacinação da Pfizer.

“Esta é uma organização cujos membros incluem advogados, médicos, ativistas públicos e o público em geral, que optaram por exercer seu direito democrático de não receber tratamento médico experimental [vacina contra o coronavírus] e sentem que estão sob grande, severa e ilegal pressão por parte do governo de Israel, membros do Parlamento, ministros, representantes públicos de alto escalão, prefeitos e outros”, diz a denúncia.

Levando em consideração os fundamentos acima, os membros da organização solicitam:

1. A cessação imediata da experiência médica e da administração de vacinas ao público israelense.

2. Exortar o governo a adotar todos os procedimentos legislativos que não violem o princípio do consentimento informado de uma pessoa para receber o tratamento médico descrito acima, o que nega status legal em Israel e na democracia israelense, especialmente ao evitar a criação de um passaporte de saúde, dando os nomes de pessoas não vacinadas às autoridades locais ou a qualquer outro legislador competente.

3. Tomar as medidas mais severas contra qualquer entidade pública, comercial ou empregatícia que viole as leis trabalhistas estaduais ou outras questões necessárias para prevenir a coerção ou solicitação de vacinas, bem como a discriminação, contra aqueles que optarem pelo não recebimento dos mencionados cuidados médicos inovadores.

4. Chamar a atenção para o fato de que uma cópia deste documento também será divulgada à mídia em todo o mundo por violação do Código de Nuremberg. Relevante em todos os países do mundo livre.

5. E, como observação final, deve-se notar que só recentemente foi tomada uma decisão do Conselho da Europa em 27/1/21, na qual todas as autoridades são obrigadas a não exercer pressão ou solicitar às pessoas que tomem a vacina contra o coronavírus de qualquer forma. Portanto, tudo o que é bom para os países europeus avançados certamente também é bom para Israel – e o equilíbrio é óbvio.

A advogada Ruth Makhachovsky disse ao Israel News:

“A experiência da Pfizer no Estado de Israel foi realizada em violação ao Código de Nuremberg, que faz parte do direito penal internacional e está sob a jurisdição do Tribunal de Haia. Agora estamos aguardando uma decisão”.

Fotocópia da denúncia ao Tribunal de Haia | Imagem: Reprodução

Link para a reclamação apresentada em Haia: clique aqui.
Link para Tribunal Superior: clique aqui.