Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Holandeses vão às ruas de Amsterdã em defesa da liberdade e contra passaporte sanitário

Manifestantes carregavam bandeiras e faixas com dizeres em protesto à pressão exercida pelo governo sobre o povo.

Reprodução | Internet

Neste domingo (5), em uma atmosfera pacífica e ordeira na Praça Dam, em Amsterdã, centenas de milhares de holandeses de todo o país se reuniram em defesa da liberdade e contra medidas sanitárias autoritárias do Estado ainda em vigor.

Manifestantes carregavam bandeiras e faixas com dizeres em protesto à pressão exercida pelo governo sobre o povo para serem vacinados, e contra uma possível introdução do passaporte sanitário.

Também foram distribuídos adesivos com o slogan ‘Nascido para ser livre’.

“Estou aqui hoje para fazer uma declaração contra o passaporte de vacinação, contra a renúncia à liberdade e contra a discriminação com base em dados médicos”, escreveu a jurista e formadora de opinião, Raisa Blommestijn, no Twitter.

Cerca de 60 organizações participam da manifestação, com o slogan ‘Juntos pela Holanda’, segundo um dos organizadores, Michel Reijinga. De acordo com a organização, trata-se da “maior demonstração desde a introdução das medidas restritivas sanitárias no país”

A colunista internacional do Conexão Política e jurista holandesa, Eva Vlaardingerbroek, também esteve presente no protesto. Ela disse que é hora do ‘basta’, e que essa demanda de restrições não mais será tolerada pelo povo holandês. “Já deu”, escreveu.

O líder do partido conservador Fórum para Democracia (FvD), Thierry Baudet, e o membro da Câmara Baixa da Holanda, Gideon van Meijeren (FvD), também compareceram à grande manifestação em Amsterdã.

Van Meijeren concluiu seu discurso aos manifestantes: “‘Venceremos essa batalha entre a luz e a escuridão, entre o bem e o mal, entre o Divino e o satânico, entre a verdade e a mentira, entre o povo e os tiranos, entre Davi e Golias. Nós venceremos essa guerra”.

Comentários

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

Mundo

Preço da commodity registra alta, em média, de 350% na fatura de energia dos europeus.

Mundo

Viajantes que receberam substâncias aprovadas na Europa não precisam mais realizar quarentena.

Mundo

Exceção se aplica para viajantes que forem ao país por motivos considerados essenciais.

Mundo

Vacinas permitidas são Janssen, AstraZeneca, Moderna e Pfizer.