Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Indígenas prendem 4 militares da tropa de Maduro na fronteira da Venezuela com o Brasil

Índios pemones, que estavam em confronto com o Exército venezuelano, próximo à fronteira com o Brasil, fizeram militares reféns nesta sexta-feira (22)

Os índios pemones, que estavam em confronto com o Exército venezuelano, próximo à fronteira com o Brasil, fizeram militares reféns nesta sexta-feira (22).

O anúncio foi realizado por Marcel Pérez, um dos indígenas que protestavam em favor da ajuda humanitária.

Pérez conta que o sequestro dos militares foi uma maneira de pressionar o Exército do ditador Maduro a “parar com as agressões contra os venezuelanos”.

Estamos com dois soldados, dois tenentes-coronéis e um general. Esta violência tem que parar. Não aguentamos mais”, disse.

A declaração foi feita após Pérez deixar um hospital de Pacaraima/RR, onde foi atendido após ser atingido por golpes no rosto e no corpo. Sua passagem na fronteira foi autorizada pelos militares venezuelanos em razão do seu ferimento.

Pérez ainda contou que uma indígena foi assassinada e ao menos 14 pessoas ficaram feridas no confronto.

Nós estávamos fazendo um protesto pacífico, eles chegaram com tanques, fuzis, baionetas e partiram para agressão”, contou.

O enfrentamento que ele está se referindo ocorreu no início da manhã. As vítimas em estado grave foram transferidas para a capital Boa Vista. Os índios pemones prometem reforçar a mobilização do lado venezuelano neste sábado (23).

A intenção é pressionar o Exército a permitir a passagem de caminhões com ajuda humanitária.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Mundo

País comandado pelo ditador Nicolás Maduro já tem números piores do que o Haiti.

Mundo

Nesta terça-feira (30), a Rússia reiterou a parceria estratégica com o Brasil e comemorou a entrada do país, em janeiro de 2022, no Conselho...

Política

Mandatário russo disse que quer estreitar a cooperação bilateral em diversas áreas.

Economia

Ritmo de recuperação é menos intenso que o previsto inicialmente.