Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Tribunal nos EUA absolve jovem de 18 anos que reagiu em protesto do Black Lives Matter

Júri de Wisconsin reconheceu que Kyle Rittenhouse não fez nada de errado e o considerou inocente.

Reprodução | Fox News

Kyle Rittenhouse, de 18 anos, foi absolvido nesta sexta-feira (19) de todas as acusações que pesavam contra ele. O julgamento aconteceu em Kenosha, no estado americano de Wisconsin.

O ex-cadete de polícia era acusado de praticar pelo menos cinco crimes: homicídio doloso, homicídio culposo, tentativa de homicídio e duas imputações por supostamente colocar a segurança de terceiros em risco.

Após quatro dias de deliberações, os doze integrantes do júri determinaram a sua absolvição, por considerarem que as ações dele estavam resguardadas pela legitima defesa.

Entenda o caso

Em agosto de 2020, Rittenhouse matou dois homens e feriu um terceiro durante um protesto do movimento esquerdista Black Lives Matter (BLM) contra a morte de Jacob Blake, homem negro baleado pela polícia durante abordagem.

O ato, na ocasião, foi marcado por tumultos, vandalismos e saques. Com a situação fora de controle e o “clima de guerra” instaurado na região, publicações nas redes sociais convocaram “patriotas” para irem até Kenosha a fim de “proteger as vidas e as propriedades”.

Na época com 17 anos, ele saiu de Illinois armado com um rifle semiautomático, o que levou o Ministério Público a acusá-lo de provocar a violência.

A defesa do jovem, por sua vez, sustentou que seu atos estiveram dentro do conceito americano de legítima defesa, uma vez que ele precisou reagir para salvar a própria vida após ser chutado, atingido na cabeça com um skate e ter uma arma apontada para sua cabeça.

Os dois homens que foram mortos eram brancos, assim como o que foi ferido — e o próprio Rittenhouse, agora livre de todas as acusações da promotoria.

Confira a reação na internet

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Judiciário

Apenas o voto do relator, ministro Edson Fachin, foi proferido.

Judiciário

Ação foi ajuizada pelas siglas PT e PSOL. Placar do julgamento terminou em 8 a 2.

Judiciário

Ação foi ajuizada pelos partidos PSOL e PT. Outros ministros ainda precisam votar.

Judiciário

Ministro do STF desempatará julgamento. Placar está em 2 a 2.