Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Rússia dá calote em dívida externa pela 1ª vez em mais de um século

Apesar de Moscou garantir que cumpriu obrigações, detentores de títulos dizem não ter recebido.

ΝΕΑ ΔΗΜΟΚΡΑΤΙΑ | Flickr

A Rússia deu calote em seus títulos soberanos estrangeiros pela primeira vez em mais de um século. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (27) pela Casa Branca.

As sanções abrangentes contra o governo de Vladimir Putin efetivamente excluíram o país do sistema financeiro global e tornaram seus ativos intocáveis, disseram os Estados Unidos da América (EUA).

O Kremlin, que tem o dinheiro para fazer os pagamentos graças às receitas de petróleo e gás, rapidamente tratou de rejeitar as afirmações, e acusou o Ocidente de conduzir o país a um default (calote) artificial.

Apesar da negativa, alguns detentores de títulos garantem que não haviam recebido juros vencidos após o fim do prazo de pagamento que expirou no último domingo (26).

Os russos têm lutado para cumprir os pagamentos de US$ 40 bilhões em títulos desde a invasão ao território da Ucrânia em 24 de fevereiro.

“A notícia desta manhã sobre a descoberta da inadimplência da Rússia, pela primeira vez em mais de um século, situa a força das ações que os EUA, juntamente com aliados e parceiros, tomaram; bem como o impacto na economia russa”, comentou uma autoridade norte-americana às margens da cúpula do G7 realizada na Alemanha.

Os esforços de Putin para evitar o que seria seu primeiro grande calote em títulos internacionais desde a Revolução Bolchevique atingiram uma barreira no final de maio, quando o Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros do Departamento do Tesouro dos EUA bloqueou Moscou de fazer pagamentos.

“Desde março achávamos que um default russo seria provavelmente inevitável, e a questão era apenas quando”, declarou à agência Reuters Dennis Hranitzky, chefe de litigação soberana da empresa de direito Quinn Emanuel.

Um calote formal seria em grande parte simbólico, uma vez que a Rússia não pode tomar empréstimos internacionais no momento e não precisa fazê-lo graças às abundantes receitas de exportação de petróleo e gás. Mas o estigma provavelmente aumentará seus custos de empréstimo no futuro.

Em uma entrevista coletiva com repórteres, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que a Rússia fez os pagamentos de títulos com vencimento em maio, mas o fato de terem sido bloqueados pela Euroclear por causa das sanções ocidentais “não é problema nosso”.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Mundo

Credores votarão uma proposta do governo para adiar os pagamentos por 24 meses.

Mundo

Ministério das Relações Exteriores russo pede aos EUA que reconheçam 'nova realidade geopolítica'.

Mundo

Acusação consta em relatório anual do Departamento de Estado americano.

Mundo

Mandatário diz que combustível chegará ao território brasileiro “mais barato”.

----- CLEVER ADS -----