Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Relatório internacional mostra como a censura chinesa ajudou a espalhar o coronavírus

Organização alega que a mídia chinesa poderia ter relatado muito antes a gravidade da epidemia se Pequim garantisse a liberdade de imprensa.

Organização alega que a mídia chinesa poderia ter relatado muito antes a gravidade da epidemia se Pequim garantisse a liberdade de imprensa.

Uma reportagem da revista El País evidencia que “no dia em que a China alertou oficialmente a Organização Mundial da Saúde (OMS) para a existência de pneumonia de origem desconhecida, forçou a plataforma de discussão do WeChat a suprimir um grande número de palavras-chave que aludiam à epidemia”.

A matéria mostra que, segundo a Repórteres Sem Fronteiras (RFS), a China “contribuiu para a disseminação do SARS-CoV-2 , o novo vírus” que já infectou mais de 509.427 pessoas em todo o mundo.

Segundo o texto, um relatório publicado pela organização nesta última terça-feira (24), diz que “sem o controle e a censura impostos pelas autoridades chinesas, a mídia chinesa teria informado o público muito antes da gravidade da epidemia de coronavírus, salvando milhares de vidas e evitando, talvez, a pandemia atual”.

Ainda segundo a reportagem, “uma pesquisa publicada em 13 de março pela Universidade de Southampton (Inglaterra) revela que Pequim poderia ter reduzido o número de infecções em 86% se tivesse imposto as medidas de confinamento adotadas em 22 de janeiro duas semanas antes. No entanto, o primeiro caso documentado de uma pessoa infectada com o novo coronavírus data de 17 de novembro, um homem de 55 anos da cidade de Wuhan, segundo o South China Morning Post, que se refere a dados do governo. Mas, embora na época os médicos pudessem certificar apenas ‘pneumonia de origem desconhecida’, um mês depois, em 20 de dezembro, as autoridades já sabiam que pelo menos 60 pacientes em Wuhan sofriam de ‘pneumonia desconhecida semelhante à SARS’ e que vários deles haviam frequentado o mercado de peixe de Wuhan. Se as autoridades não tivessem escondido da mídia a existência de um surto epidêmico vinculado a um mercado muito popular, o público teria parado de visitar este local muito antes do seu fechamento oficial, em 1º de janeiro”.

A matéria na íntegra você confere aqui!

Comentários

Jornal digital comprometido com a cobertura e a análise das principais pautas sobre política nacional e internacional | FALE CONOSCO: contato@conexaopolitica.com.br

Judiciário

Categoria protesta contra desfalque de equipes de saúde na cidade.

Mundo

Decisão foi tomada pelo republicano em seu primeiro dia de mandato.

Mundo

PIB do regime comunista registrou a maior alta em uma década.

Últimas

Remessa chegou de madrugada ao Aeroporto de Viracopos, em Campinas.