Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Sergio Moro e procuradores da Lava Jato foram parciais contra Lula, diz comitê da ONU

Comitê de Direitos Humanos julgou representação apresentada pelo ex-presidente.

Marcelo Camargo | Agência Brasil

O Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas concluiu que os procuradores da Lava Jato e o ex-juiz Sergio Moro foram parciais em relação aos casos investigados contra o ex-presidente Lula (PT).

“A investigação e o processo penal contra o ex-presidente Lula da Silva violaram seu direito a ser julgado por um tribunal imparcial, seu direito à privacidade e seus direitos políticos”, relatou o órgão.

A ONU decidiu se manifestar sobre o assunto após ter sido provocada pela equipe de defesa de Lula. No documento enviado ao conselho, os advogados destacaram, entre outras coisas, que o líder petista permaneceu 580 dias presos em Curitiba pela condenação no caso tríplex de Guarujá.

“Embora os Estados tenham o dever de investigar e processar os atos de corrupção e manter a população informada, especialmente em relação a um ex-chefe de Estado, tais ações devem ser conduzidas de forma justa e respeitar as garantias do devido processo legal”, disse em nota o membro do Comitê Arif Bulkan.

O parecer da ONU converge com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que neste ano considerou Sergio Moro parcial nos processos em que atuou como juiz federal contra Lula. Por consequência, todas as ações foram anuladas: casos tríplex, sítio de Atibaia e Instituto Lula — todas no âmbito da Lava Jato.

Comentários

FALE COMIGO: raul@conexaopolitica.com.br — diretor de redação do Conexão Política e natural de Recife (PE).

Política

Episódio gerou mal-estar entre os dirigentes partidários presentes no ato.

Política

A menos de quarto meses para o Primeiro Turno das eleições, grupos políticos intensificam análises e estratégias internas.

Mundo

Líderes de esquerda ao redor do mundo festejam o anúncio.