Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Sintomas de longa duração da Covid-19 são raros em crianças, diz estudo

Estudo publicado na revista The Lancet diz que maioria se recupera em menos de uma semana.

CDC | Unsplash

A maioria das crianças que contrai a Covid-19 se recupera em menos de uma semana e apenas algumas ainda têm alguns dos sintomas mais comuns após um mês, de acordo com estudo publicado na revista The Lancet.

A pesquisa, liderada por peritos do King’s College London (UK), analisou 1.734 pacientes sintomáticos com idade entre 5 e 17 anos, com base em dados colhidos numa aplicação móvel por pais e prestadores de cuidados envolvidos no projeto “Zoe Covid”.

A principal conclusão é que os casos com sintomas duradouros são “raros”, diz uma das autoras do estudo, Emma Duncan, professora do King’s College.

“É reconfortante saber que o número de crianças que experimentam sintomas de covid-19 de longa duração é baixo. No entanto, um pequeno número de crianças sofre de doenças prolongadas”, acrescentou.

Dos 1.734 positivos relatados na aplicação móvel, apenas 77 (4,4%) ainda tinham pelo menos dois dos três sintomas mais comuns (fadiga, dor de cabeça e perda de cheiro/paladar) após quatro semanas.

Além disso, o estudo concluiu que após oito semanas, praticamente todos (98,2%) os que apresentavam sintomas tinham se recuperado.

A fadiga foi o sintoma mais prevalente nesse grupo (84%), enquanto 77,9% também sentiram dor de cabeça e perda de cheiro/paladar, respectivamente, em alguma fase da doença.

Os peritos indicam que a dor de cabeça é o sintoma mais comum no início da doença, enquanto a perda de cheiro/gosto aparece mais tarde e permanece por um período de tempo mais longo.

O estudo encontrou diferenças na duração média da doença entre crianças do ensino primário (5 a 11 anos de idade) e do ensino secundário (12 a 17 anos de idade): nas crianças mais velhas, a covid-19 durou em média sete dias, em comparação com cinco dias nas crianças mais novas.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Saúde

Empresa alemã que desenvolveu a substância junto com a Pfizer divulgou nota oficial.

Governo

Anúncio foi feito ministro Marcelo Queiroga durante um evento na cidade de Salvador.

Mundo

Presidente dos EUA garantiu que agirá 'rapidamente' se uma atualização da vacina for necessária.

Mundo

Entidade declarou que o banimento de viagens do continente 'ataca a solidariedade global'.