Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Política

PT propõe taxar ricos, revogar reforma trabalhista e suspender teto de gastos

Ainda pendente de aprovação, documento preliminar critica privatizações e defende estatais.

Ricardo Stuckert | Lula Oficial | Flickr

Em um esboço apresentado nesta segunda-feira (6) a dirigentes próximos, a coordenação da chapa de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Geraldo Alckmin (PSB) apresentou suas diretrizes preliminares que guiarão a construção de um programa de governo.

No documento são apresentadas 90 intenções econômicas e sociais. Entre as pautas estão a revogação da reforma trabalhista e a suspensão do teto de gastos.

Para a questão do emprego, os economistas esquerdistas sugerem um modelo de negociação tripartite, que envolveria os empregadores, o Estado e os empresários.

No tocante ao sistema tributário, eles defendem taxar a renda de pessoas ricas, a partir da criação de uma “reforma tributária solidária”.

“Para isso, é preciso revogar o teto de gastos e rever o atual regime fiscal brasileiro, que é disfuncional e perdeu totalmente sua credibilidade”, diz o texto.

Também há críticas às privatizações almejadas pelo presidente Jair Bolsonaro (PL). No documento, os petistas defendem que os bancos públicos, a Eletrobras, os Correios, a Petrobras e a estatal do pré-sal sejam mantidos como “patrimônio do povo”.

A versão prévia será remetida à análise dos partidos que integram a frente de esquerda “Vamos Juntos Pelo Brasil”, que terão até quinta-feira (9) para sugerir alterações, exclusão e inclusão de novas propostas. Eis a íntegra.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Política

Mesmo líder das pesquisas, tucano abriu mão da disputa após acordo com PDT.

Política

Mais de 156,45 milhões de eleitores estão aptos a votar em outubro

Política

Em tese, o ex-governador está inelegível por ter sido cassado, mas foi escolhido pelo PMB.

Política

Senadora por MS substituirá Luciano Bivar, que abriu da corrida ao Planalto para tentar reeleição na Câmara.

----- CLEVER ADS -----