Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Política

Ciro Gomes: ‘Vou pra cima de Lula, maior corruptor da história brasileira’

Cearense acredita num eventual segundo turno entre ele e Lula.

O ex-ministro e ex-governador do Ceará, Ciro Gomes (PDT), afirmou que ‘vai pra cima’ de Lula nas eleições de 2022.

Em entrevista ao Valor Econômico, o pedetista disse que o petista está no ápice, enquanto Bolsonaro segue em enfraquecimento político.

“Quem vai ter que se explicar agora é o Lula, porque vou para cima dele (…) Vamos derrotar Bolsonaro e vou propor mudança. Lula é parte central da corrupção. Lula é o maior corruptor da história moderna brasileira. E não aprendeu nada. Fica na lambança, prometendo a volta de um passado idílico que é mentira”, afirmou ao Valor.

Diante da queda expressiva dos partidos de esquerda nas últimas eleições brasileiras, Ciro agora diz que nunca se enquadrou na esquerda, nem na direita, destacando que a aposta dele é investir numa aliança centro-esquerda.

Ao citar possíveis aliados na disputa ao Palácio do Planalto, ele mencionou as siglas do PSB, REDE, PSD e o DEM.

Ainda durante a entrevista, o pedetista foi questionado sobre os números da última pesquisa Datafolha.

Na visão dele, existe uma grande possibilidade de Bolsonaro não chegar ao segundo turno. Assim, tornaria a corrida limitada entre ele e o ex-presidente Lula.

“A probabilidade de se dar o segundo turno entre mim e o Lula está crescendo. Acho que Moro e Huck não são candidatos. Nem Doria. Se ele for, será fragilizado porque está muito mal em São Paulo e nunca teve entrada no Brasil. O único organizado, com o partido harmônico, sem confusão, sou eu”, completou Ciro Gomes.

Comentários

FALE COMIGO: raul@conexaopolitica.com.br — diretor de redação do Conexão Política e natural de Recife (PE).

Mundo

Nesta terça-feira (30), a Rússia reiterou a parceria estratégica com o Brasil e comemorou a entrada do país, em janeiro de 2022, no Conselho...

Política

Cacique pedetista, Carlos Lupi diz que o país vive a 'destruição dos direitos dos trabalhadores'.

Últimas

Críticas neste sentido também ecoaram entre outros nomes da base governista.

Política

Cúpula petista havia recuado sobre assunto após uma série de críticas; agora, tema voltou a ser ecoado pelo líder do partido.