Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Últimas

Desde rompimento com Bolsonaro, PSL perde 66 filiados por dia

“Esquece o PSL, tá ok?”, recomendou o presidente Jair Bolsonaro a um apoiador, na manhã do dia 8 de outubro, no primeiro sinal público de rompimento com o partido pelo qual ele se elegeu. Desde então, 7.739 pessoas seguiram a orientação e deixaram o PSL, incluindo o próprio Bolsonaro. Em média, foram 66 desfiliações por dia, segundo levantamento feito pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, com dados informados pela legenda ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

A desidratação do PSL é reflexo da ofensiva para tirar do papel o Aliança pelo Brasil, partido criado pelo presidente, mas que ainda precisa ser oficializado pela Justiça Eleitoral. Para isso são necessárias 492 mil assinaturas de eleitores que não estejam filiados a outra sigla.

Pelas redes sociais, integrantes do Aliança têm orientado os seguidores a se desfiliar de seus atuais partidos para que as assinaturas sejam validadas pela Justiça Eleitoral. No domingo de carnaval, por exemplo, a advogada e tesoureira do Aliança, Karina Kufa, publicou no Twitter um passo a passo.

“Desfiliação. Como fazer? Envie uma comunicação ao diretório municipal do partido a que está filiado. Ele não precisa concordar, mas só ser informado que não deseja mais vínculo. Leve duas vias e fique com uma com o carimbo de recebimento pelo partido”, postou Kufa.

A advogada afirmou ao jornal ter recebido denúncias de que dirigentes locais do PSL têm dificultado desfiliações, recusando-se a receber os pedidos. “As pessoas estão apresentando a ficha ao Aliança, mas ainda constam como filiados mesmo após pedir a desfiliação”, disse ela.

Com informações, portal r7.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Judiciário

Corte eleitoral julgou uma consulta feita pelas legendas PT, PCdoB e PV.

Governo

Em caso de 2º turno, postulantes terão limite de até R$ 58 milhões para despesas eleitorais.

Política

Apesar de entrar na mira da CPI da Covid, nenhum dos executivos da Hapvida foi indiciado.

Governo

Presidente afirma que segue confiando em ex-ministro investigado pela PF.

----- CLEVER ADS -----