Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Espanha corta relações militares com a Venezuela

Bielorrússia, Cuba, China, Irã, México, República Dominicana, Rússia, Uruguai e Vietnã são os que ainda mantêm relações militares com o regime madurista.


A Espanha foi o único país da União Europeia e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) que manteve relações militares com a Venezuela. Esse relacionamento terminará em 31 de dezembro, pois o Ministério da Defesa espanhol decidiu fechar unilateralmente seu adido militar em Caracas, informou a organização Control Ciudadano.

Segundo esta organização não-governamental, “Madrid considera pertinente o desaparecimento de um diálogo direto com os militares venezuelanos de Caracas”.

O adido será administrado pela embaixada da Espanha em Cuba. Dessa forma, perde-se a capacidade de se relacionar e receber informações no país.

Não é segredo para ninguém que o establishment militar tem grande influência na política e na economia venezuelana, o que se espera aumentar nos cenários de 2021.

A decisão do Governo da Espanha acompanha a decisão de outras nações ocidentais de isolar ainda mais o regime ditatorial socialista de Maduro. Os países que ainda têm adido militar na Venezuela são muito poucos. Entre eles: Bielorrússia, Cuba, China, Irã, México, República Dominicana, Rússia, Uruguai e Vietnã estão entre os que mantêm relações militares com a Venezuela.

Com esta decisão, está claro, por enquanto, que os interesses estratégicos da Espanha não visam a retomada do diálogo com o governo madurista da Venezuela.

 

Comentários

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

Governo

Com apoio russo, ditador socialista realiza mobilização de um grande exercício militar na região.

Mundo

Alex Saab estava detido em Cabo Verde desde o ano passado por acusações de lavagem de dinheiro.

Mundo

Empreiteira brasileira obteve vantagens por meio de contratos no país socialista.

Mundo

Iniciativa visa contrapor organizações de esquerda como 'Grupo de Puebla' e 'Foro de São Paulo'.