Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Últimas

Gilmar Mendes proíbe a condução coercitiva para interrogatórios

Imagem: Reprodução

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu hoje (19/12) uma decisão liminar (provisória) para suspender o uso, em todo o país, da condução coercitiva para levar investigados a interrogatório.

A condução coercitiva, frequentemente utilizada nas operações como a Lava Jato, é prevista no Código de Processo Penal, em vigor desde 1941. Determina que se um acusado não atender à intimação para o interrogatório ou qualquer outro ato, o juiz poderá mandar a polícia conduzi-lo à sua presença. 

“A condução coercitiva representa uma supressão absoluta, ainda que temporária, da liberdade de locomoção. O investigado ou réu é capturado e levado sob custódia ao local da inquirição. Há uma clara interferência na liberdade de locomoção, ainda que por um período breve”, concluiu o ministro.

Comentários

FALE COMIGO: raul@conexaopolitica.com.br — diretor de redação do Conexão Política e natural de Recife (PE).

Judiciário

Defesa recorreu ao STF depois de a pena ser mantida em duas instâncias.

Judiciário

Ex-governador foi acusado pelo MPF de cometer crimes de corrupção passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Judiciário

Pedido de vista de Ricardo Lewandowski adiou julgamento.

Judiciário

Informações devem ser compartilhadas apenas em reunião secreta.