Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Últimas

Ministério Público do Rio nega ter ajuizado denúncia contra Flávio Bolsonaro e Queiroz

Informação havia sido publicada como ‘furo de reportagem’ pelo O Globo

Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) realiza reunião. Na pauta, leitura de relatórios das indicações para presidência e duas diretorias do Banco Central (BC) e diretoria da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Em destaque, senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). Foto: Pedro França/Agência Senado

No início da noite desta segunda-feira (28), o Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) emitiu uma nota à imprensa em que nega ter denunciado o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e o ex-assessor Fabrício Queiroz.

“Em relação à matéria ‘Ministério Público denuncia Flávio Bolsonaro e Queiroz por ‘rachadinha’ na Alerj’, publicada pelo jornal O Globo nesta segunda-feira (28/09), o MPRJ, por meio da Subprocuradoria-Geral de Justiça de Assuntos Criminais e de Direitos Humanos (SUBCRIM/MPRJ), esclarece que, até o momento, não há denúncia ajuizada contra o atual senador Flávio Bolsonaro nas investigações referentes a movimentações financeiras em seu gabinete no período em que era deputado estadual”, diz o texto do MP.

O órgão ainda ressalta que as apurações correm em sigilo e que a publicação de notícias sem confirmação pode atrapalhar o caso.

“A instituição lamenta e repudia a divulgação de notícias relacionadas a investigações sigilosas, sem qualquer embasamento ou informação oficial por parte do MPRJ, o que causa prejuízo à tramitação do procedimento e desinformação junto ao público.”, completa a nota.

Na matéria, O Globo afirma que o promotor Ricardo Martins denunciou o parlamentar e o ex-funcionário de gabinete como autores dos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Após a nota do MP, o jornal corrigiu a matéria no site, sustentando que a denúncia “ainda será formalizada”.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Judiciário

"O gesto externalizado é a saudação nazista Sieg Heil", diz a promotora Maria Fernanda Balsalobre Pinto.

Últimas

Promotoria pede que processo seja conduzido pela 4ª Vara Criminal

Judiciário

Lewandowski também quer ouvir explicações sobre supostas irregularidades na inoculação em crianças.

Judiciário

Também foi solicitado bloqueio de bens do principal sócio da empresa