Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Governo

Governo federal assina contrato de concessão de rodovias em GO e TO

Trechos concedidos têm 850 quilômetros.

Marcelo Camargo | Agência Brasil

Foi assinado hoje (1º) o contrato de concessão da BR-153/080/414/GO/TO, que terá à frente, pelos próximos 35 anos, o Consórcio Eco 153 (EcoRodovias). Serão 850 quilômetros (km) de trechos concedidos.

Desses, 627 km serão de pistas duplicadas. Durante a cerimônia de assinatura, em Anápolis, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, lembrou que serão investidos R$ 14 bilhões no empreendimento pela iniciativa privada.

“A obra vai gerar 14 mil empregos”, disse Tarcísio Gomes ao comemorar “mais um empreendimento importante em Goiás, ao lado [de um trecho] da Ferrovia Norte-Sul”.

O consórcio, segundo informações da Agência Brasil. ofereceu R$ 320 milhões em outorgas, na expectativa de atrair R$ 14 bilhões em investimentos, dos quais R$ 6,2 bilhões serão para custos operacionais. Cerca de R$ 960 milhões terão como destino a conta vinculada que deverá ser usada em obras no estado de Tocantins.

Segundo o ministério, o valor final do pedágio, por quilômetro, será de R$ 0,10218, após desconto máximo na tarifa de 16,25%.

Ao interligar as regiões Norte e Sul, a rota ajudará no escoamento da produção da região, em especial do agronegócio.

A expectativa do governo é que a obra contribua para a geração de “quase 120 mil postos de trabalho” ao longo do contrato.

“O trecho concedido compreende 850,7 quilômetros de extensão, entre os municípios de Anápolis (GO) e Aliança do Tocantins (TO). O Programa de Exploração da Rodovia (PER) prevê a duplicação obrigatória de 623,3 quilômetros, sendo 349,2 quilômetros do terceiro ao décimo ano, e outros 274,1 quilômetros entre o 19º e o 25º ano”, informa o ministério.

Comentários

FALE COMIGO: raul@conexaopolitica.com.br — diretor de redação do Conexão Política e natural de Recife (PE).

Economia

Resultado foi comemorado pelo setor de Infraestrutura do governo federal.

Judiciário

Decisão liminar foi proferida no âmbito de ação ajuizada pelo Movimento Nacional de Direitos Humanos.

Governo

Ministro procurou minimizar origem dos investimentos internacionais. Segundo ele, capital chinês já se faz presente no Brasil há muito tempo.