Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Argentina ameaça romper contrato da Sputnik V após atrasos na entrega

Segundo assessoria presidencial, Fundo Russo teria deixado de entregar mais de 18,7 milhões de doses.

Argentina Grains | Flickr

O governo da Argentina tem pressionado o Fundo Russo de Investimento Direto nas últimas semanas após o Kremlin atrasar o fornecimento da vacina Sputnik V.

Alberto Fernández chegou a ameaçar suspender o contrato, segundo informações do jornal Lá Nación. Em um e-mail enviado à cúpula do fundo pela assessoria presidencial, a Casa Rosada afirma que a situação é “crítica”.

De acordo com o documento, o Fundo Russo teria deixado de entregar mais de 18,7 milhões de doses, sendo 5,5 milhões para aplicação da primeira dose e 13,1 milhões para aplicação da segunda dose.

“A essa altura o contrato inteiro corre risco de ser publicamente cancelado […] Nós entendemos a escassez e a dificuldade de produção alguns meses atrás. Mas agora, 7 meses depois, nós ainda estamos muito atrasados, enquanto começamos a receber doses de outros fornecedores regularmente, com cronogramas que atendem às nossas necessidades”, diz a presidência.

“Vocês estão nos deixando com pouquíssimas opções para continuar lutando por vocês e por esse projeto. Como eu também já mencionei, nós, enquanto autoridades públicas, estamos enfrentando ações legais devido aos atrasos nas entregas, colocando em risco nosso governo”, acrescenta.

Vale lembrar que o governo socialista argentino foi o primeiro país na América Latina a aprovar o uso emergencial do imunizante russo, ainda em dezembro de 2020.

Inicialmente, o contrato previa a entrega de cerca de 30 milhões de doses. A vacina russa é considerada a “aposta mais contundente” de Fernández para combater a pandemia.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Mundo

Em junho, o banco central do país elevou a taxa básica pela 6ª vez neste ano, para 52%.

Mundo

País sul-americano dialogou com o governo chinês durante reunião do G20 na Indonésia.

Mundo

Buenos Aires vive crescente desconfiança na economia doméstica e crises institucionais.

Mundo

Bloco de economias emergentes tem hoje Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

----- CLEVER ADS -----