Conecte-se conosco

Mundo

Governador da Flórida processará agência de saúde dos EUA por fechar empresas durante a pandemia

DeSantis disse que o CDC está seguindo a política, não a ciência.

Publicado

em

Gage Skidmore | Flickr

Na quarta-feira (5), o governador da Flórida, Ron DeSantis, falou em uma coletiva de imprensa em Satellite Beach que vai ingressar com uma ação contra o Centro de Controle de Doenças (CDC) – uma agência do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA – por exceder sua autoridade no fechamento de empresas americanas durante o surto de covid-19, especificamente da indústria de cruzeiros que é vital para os portos do estado.

“Você quer que uma burocracia não eleita tenha o poder de fechar indefinidamente uma grande indústria neste país?”, questionou DeSantis, falando sobre o atraso contínuo de permitir que os navios de cruzeiro operem novamente, e a evasão da Flórida devido à proibição de passaportes de vacina. “Eles não têm autoridade para fazer isso, é por isso que os estamos processando.”

DeSantis apontou que não faz sentido navios de cruzeiro evitarem o estado da Flórida devido à proibição do passaporte da vacina, visto que muitos dos lugares onde as pessoas costumam passar com os cruzeiros têm taxas de covid-19 mais altas e taxas de vacinação mais baixas.

“Eles dizem que você só pode fazer um cruzeiro se tiver 98% das pessoas com comprovante de vacinação, mas isso é ridículo”, declarou. “Eles estão viajando para partes do mundo que não têm disponibilidade de vacinas, que têm muito mais covid do que nos Estados Unidos.”

Ao denunciar o exagero do CDC, DeSantis disse que a agência governamental está seguindo a política em vez de seguir a ciência.

“Isso causa implicações para potencialmente qualquer setor e, olhe, com todo o devido respeito ao CDC, quero dizer, se você olhar para algumas das coisas que eles fizeram nas aberturas de escolas, em que eles estão basicamente atendendo à licitação do sindicato dos professores, quando dizem que essas crianças deveriam usar máscaras em acampamento de verão ao ar livre. Desculpe, isso não é ciência, isso é política”, disparou.

O governador também falou da importância de, em vez de instituir lockdowns severos, manter a Flórida aberta para o rendimento de dividendos.

“Previa-se que nosso estado seria mais atingido economicamente no período da covid do que qualquer outro estado por causa de nossa economia de serviços e nossa base de turismo”, afirmou.

“E o que fomos capazes de fazer ao manter a Flórida aberta? Salvamos centenas de milhares de empregos na indústria de restaurantes, hotéis e hospitalidade. Salvamos milhares de empresas. Você sabe como eu sei disso? Porque toda vez que eu saio, alguém vem até mim e diz: ‘Obrigado por salvar meu emprego’ ou ‘Obrigado por salvar meu negócio’. Portanto, agora estamos com 4,7% de desemprego, o que é significativamente menos do que a média nacional de 6% e muito menos do que estados com lockdowns como Nova York e Califórnia.”

“Então, estamos fazendo certo […] Obviamente, queremos ter certeza de que essas pessoas serão capazes de ter sucesso em termos de conseguir as pessoas de que precisam, mas pense apenas onde poderíamos estar. Quer dizer, esse é um bom problema para se ter em comparação a pessoas, em algumas partes do país… com negócios acabados. Eles nunca mais voltarão. Esta é a mão pesada do governo esmagando empresas familiares, arruinando empregos e destruindo milhões de vidas. Escolhemos outro caminho na Flórida; foi o caminho certo; foi o caminho bem-sucedido e, sim, queremos ter certeza de que as coisas estão [bem]. Na verdade, há restaurantes que fecham um dia por semana porque não têm gente suficiente.”

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.