Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Reino Unido convoca reunião do G7 para discutir conflito no Afeganistão

Extremistas islâmicos do Talibã tomaram Cabul no fim de semana passado.

Andrew Parsons | CCHQ

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse ter convocado para a próxima terça-feira (24) uma reunião virtual dos líderes do G7 para discutir a crise no Afeganistão e pediu aos governos que encontrem maneiras de evitar que as condições piorem.

Extremistas islâmicos do Talibã tomaram o controle de Cabul no fim de semana passado, o que fez com que civis e aliados militares afegãos fugissem do país em busca de segurança.

Muitos temem um retorno à lei islâmica imposta durante o regime anterior do grupo terrorista, que terminou há 20 anos e foi marcado por uma série restrições a direitos básicos, sobretudo das mulheres.

Os governos ocidentais estão discutindo como lidar com a situação em Cabul, onde milhares de civis desesperados para fugir tentam invadir o aeroporto.

“É vital que a comunidade internacional trabalhe em conjunto para garantir retiradas seguras, evitar uma crise humanitária e apoiar o povo afegão para garantir direitos conquistados nos últimos 20 anos”, escreveu Johnson em seu Twitter.

O Reino Unido detém a liderança rotativa do G7, que também inclui Estados Unidos, Itália, França, Alemanha, Japão e Canadá.

O presidente norte-americano, Joe Biden, sob intensa pressão dentro do país e no exterior após comandar a retirada das forças armadas do Afeganistão, vai se reunir virtualmente com os líderes do G7 para coordenar políticas, discutir esforços de evacuação e assistência humanitária.

A reunião terá como base as ligações que Biden fez nesta semana para Johnson, Angela Merkel, Emmanuel Macron e o primeiro-ministro italiano Mario Draghi.

Comentários

FALE COMIGO: marcosrocha@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Mundo

Participação do grupo extremista precisa ser aprovada por um comitê das Nações Unidas.

Mundo

Contratos de trabalho foram interrompidos em virtude de lei aprovada em agosto.

Mundo

"Não toquem nas minhas roupas" é o slogan da campanha.

Mundo

Movimento ocorre após Pequim aplicar sanções a parlamentares britânicos.