Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Congresso

Com exigência de carteira de vacinação, deputados retomam atividades presenciais

Entrada no prédio ocorrerá mediante apresentação do cartão de imunização.

Douglas Gomes | Lid Republicanos

A Câmara dos Deputados retoma as atividades presenciais a partir desta segunda-feira (25). A decisão foi anunciada pela Mesa Diretora na semana passada.

Os trabalhos presenciais foram suspensos em março do ano passado, ainda no início da pandemia da Covid-19. Desde então, as atividades têm sido realizadas de forma híbrida.

Entre as regras para a retomada, será obrigatória a apresentação de “passaporte de vacinação” para a entrada na Casa Legislativa.

Quem quiser ingressar nas dependências da Câmara terá que apresentar a carteira de imunização, com pelo menos o registro de uma dose tomada, “observado o cronograma vacinal instituído pelos órgãos competentes”.

Além disso, haverá ainda a medição de temperatura e exigência do uso de máscara. Quem estiver com a temperatura acima de 37,5º terá sua entrada proibida.

Mesmo com o retorno, ainda haverá restrições para o acesso. De acordo com as regras, só terão acesso os congressistas, servidores, terceirizados, profissionais de imprensa, assessores de entidades e órgãos públicos, representantes de instituições de âmbito nacional, estagiários e empregados que prestam serviços no âmbito das dependências do prédio.

Também fica suspensa a realização de eventos coletivos não relacionados às atividades legislativas do plenário e das comissões, inclusive eventos de lideranças partidárias e frentes parlamentares. A visitação do público continua suspensa.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Congresso

Texto ainda irá ao Senado e pode beneficiar atuais mandatários que exercem cargos.

Congresso

Maior despesa foi com energia elétrica, na ordem de R$ 90,8 milhões.

Congresso

Trata-se da maior conta entre as principais despesas da Casa Legislativa.

Congresso

Foram 312 votos a favor e 144 contra. Texto será votado mais uma vez antes de ir ao Senado.