Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Congresso

CPI da Pandemia ouve Marcos Tolentino da Silva

Ele é apontado como sócio oculto da empresa FIB Bank Garantias S.A..

Edilson Rodrigues | Agência Senado

A CPI da Covid ouve nesta terça-feira (14) o depoimento do advogado Marcos Tolentino, suspeito de ser o sócio oculto do FIB Bank – empresa acusada de estabelecer garantias para que a vacina indiana Coxaxin pudesse ser viabilizada e, consequentemente, tivesse contrato firmado entre o Ministério da Saúde e a Precisa Medicamentos.

Tolentino obteve, do Supremo Tribunal Federal (STF), um habeas corpus que concede direito para que ele fique em silêncio durante o depoimento à CPI.

A Comissão apura se eventuais irregularidades na negociação para a compra dos insumos.

O contrato, que veio a ser cancelado pelo governo federal, previa um desembolso de R$ 1,61 bilhão para a compra da Covaxin, por meio de um negócio intermediado no Brasil pela Precisa – representante no país do laboratório indiano Bharat Biotech. A garantia financeira foi de 5% do valor, que reflete cerca de R$ 80,7 milhões.

De acordo com a CPI, além de não ser uma instituição registrada no Banco Central a FIB Bank entregou a garantia fora do prazo contratual. Ainda segundo os senadores que compõem a Comissão, há indícios de que Tolentino é sócio do FIB Bank por intermédio de duas outras empresas que compõem o quadro societário da empresa.

Outro fator levado em consideração é o apontamento de que Marcos Tolentino é amigo do deputado Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara.

Marcos Tolentino e o FIB Bank já negaram que tenham uma relação entre si.

Comentários

FALE COMIGO: raul@conexaopolitica.com.br — diretor de redação do Conexão Política e natural de Recife (PE).

Congresso

Cúpula do colegiado entregará parecer de Renan Calheiros ao Tribunal Penal Internacional, em Haia.

Política

Vereadores apontam irregularidades na gestão do transporte público em BH.

Congresso

Deputado era investigado no Conselho de Ética da Câmara.

Congresso

Grupo vai fiscalizar cumprimento de medidas indicadas no relatório.