Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Congresso

Presidente da CPI dá resposta às Forças Armadas: ‘Podem fazer 50 notas’

O senador Omar Aziz durante entrevista após a instalação da CPI da Pandemia, no Senado Federal.

O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, senador Omar Aziz (PSD-AM), reagiu ao texto divulgado pelo Ministério da Defesa em que os comandantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica repudiam as declarações do congressista.

A manifestação do parlamentar ocorreu após o presidente da Casa Legislativa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), pedir “união dos senadores” ao comentar os últimos acontecimentos políticos.

“Infelizmente, um discurso bastante moderado para o momento que essa casa vive. Eu tenho respeito por vossa excelência. Mas minha fala, hoje, foi pontual. E reafirmo o que disse na CPI. Podem fazer 50 notas contra mim, só não me intimidem. Porque ao me intimidar, eles intimidam essa Casa aqui”, afirmou Aziz.

Mais cedo, o presidente da Comissão tinha dito durante o depoimento do ex-diretor do Ministério da Saúde, Roberto Dias, que “membros do lado podre das Forças Armadas estão envolvidos com falcatrua dentro do governo”.

Para os militares, a narrativa de Aziz afastada dos fatos atinge as Forças Armadas de “forma vil e leviana”, tratando-se de uma “acusação grave, infundada e, sobretudo, irresponsável”.

Na redes sociais, Aziz afirmou estar sendo vítima de fake news. “Estão tentando distorcer minha fala e me intimidar. Não aceitarei! Não ataquei os militares brasileiros. Disse que a parte boa do Exército deve estar envergonhada com a pequena banda podre que mancha a história das Forças Armadas.”

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Economia

Aumento está relacionado à expansão do comércio online, diz associação.

Política

Foram apreendidos quase R$ 2 milhões na residência de Adriana Belém

Política

Prazo também vale para pagamento da primeira cota

Política

Operação Calígula cumpre 29 mandados de prisão