Conecte-se conosco

Economia

Guedes defende flexibilização do Mercosul e critica ‘economia fechada’ do bloco

Publicado

em

Wilson Dias | Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta última terça-feira (8) que a participação do Brasil no Mercosul tem sido prejudicial. Para ele, a associação ao bloco travou a ampliação de mercados pelo país.

“Estarmos unidos [no Mercosul] causou danos ao Brasil nos últimos 30 anos. O Brasil está comercializando menos com nossos parceiros do Mercosul hoje do que há 20 anos. Foi uma armadilha. Impediu o Brasil de se engajar numa integração industrial mais produtiva nas cadeias globais”, declarou Guedes, durante conferência virtual do Bradesco BBI, em Londres.

Ele também destacou que o Brasil pretende reduzir “unilateralmente” as tarifas de importação, além de defender a entrada do país na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), ressaltando que o governo federal está adotando medidas para se adequar às regras exigidas.

Criada em 1961 e com sede em Paris, a OCDE é uma organização internacional formada por 36 países, incluindo algumas das principais economias desenvolvidas do mundo, como Estados Unidos, Japão e países da União Europeia. É vista como um “clube dos ricos”.

Durante sua fala na conferência, Paulo Guedes afirmou que está claro para o governo que o futuro é digital e verde, mas reconheceu que o Brasil enfrenta problemas na área ambiental. Ele disse também que o Executivo tem mantido contato próximo com o enviado presidencial para o clima do governo dos Estados Unidos, John Kerry.

“É verdade que temos problemas com desmatamento florestal, com ocupação ilegal de terras, e estamos muito alertas a isso. Nos últimos três meses, temos mantido contato estreito com o senhor Kerry, que é o homem indicado pelo presidente [Joe] Biden para tratar de questões ambientais com o Brasil”, concluiu.

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).