Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Governo

Governo rejeita passaporte sanitário e impõe quarentena a viajante não vacinado

Anúncio foi feito pelo ministro da Saúde durante cerimônia no Planalto.

Myke Sena | MS

O governo federal anunciou nesta terça-feira (7) que vai exigir quarentena de cinco dias para viajantes não vacinados contra a Covid-19 que desembarcarem no Brasil.

Em cerimônia no Palácio do Planalto, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, detalhou que, após o período de quarentena definido, os viajantes deverão realizar um teste do tipo RT-PCR com resultado negativo.

Segundo ele, cerca de 80% da população brasileira acima de 14 anos já está imunizada com as duas doses da vacina. O número representa mais de 175 milhões de habitantes.

Queiroga destacou ainda que o país conseguiu “reduzir fortemente” o número de casos e óbitos provocados pela doença – nos últimos seis meses, a queda foi de cerca de 90%.

Liberdade em 1º lugar

Sobre a possibilidade de exigência de um certificado de vacinação para viajantes que queiram entrar no país, recomendada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o ministro avaliou que o enfrentamento à pandemia não diz respeito apenas “a um chamado passaporte que mais discórdia do que consenso cria”.

“Ultimamente, o mundo ficou muito preocupado com uma nova variante do vírus. Essas variantes podem acontecer em qualquer lugar do mundo. Os países que identificam essas variantes não podem ser punidos com restrição aos seus cidadãos”, disse.

“É necessário defender as liberdades individuais, respeitar os direitos dos brasileiros a acessarem livremente as políticas públicas de saúde”, declarou. “Essa temática envolve as relações exteriores do Brasil e o Brasil é um país muito reconhecido exatamente por utilizar o princípio da reciprocidade”, acrescentou.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Últimas

Anvisa diz que resposta sobre venda deve sair no menor tempo possível

Últimas

A decisão foi unânime dos cinco diretores da Anvisa.

Judiciário

Categoria protesta contra desfalque de equipes de saúde na cidade.

Mundo

Decisão foi tomada pelo republicano em seu primeiro dia de mandato.