quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024

China pede à OMS para não politizar investigações sobre origem da Covid

O presidente do Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças (CDC-China) exigiu, neste sábado (8), que a Organização Mundial da Saúde (OMS) tenha um posicionamento “científico e justo” ao investigar as origens da covid-19.

Shen Hongbing disse que que não quer uma politização por parte da OMS ao apurar o surgimento da doença que assolou o mundo e causou a pandemia. O vírus foi registrado pela primeira vez na China, em 2019.

Ainda de acordo com o chefe do CDC chinês, o governo de Xi Jinping tem sido “aberto e transparente” ao publicar resultados e dados relevantes de estudos sobre as primeiras infecções por covid.

A OMS tem dito que a China esconde evidências que podem vincular o surgimento do coronavírus, pedindo aos cientistas do país comunista que divulguem resultados e dados relevantes.

No entanto, para Shen Hongbing, seu país tem promovido “pesquisas relevantes” e “transparentes” sobre o rastreamento das origens da pandemia.

“Esperamos manter uma atitude científica, manter os cientistas como a força principal e fortalecer o intercâmbio, a cooperação e o compartilhamento de informações, para realizar o rastreamento da origem do vírus em uma trilha científica. Instamos à OMS que as autoridades retomem uma postura científica e imparcial e não se ofereçam ou sejam forçadas a se tornar uma ferramenta para certos países politizarem o rastreamento da origem do coronavírus”, disse ele.

Leia também