terça-feira, 23 de julho de 2024

China pede à OMS para não politizar investigações sobre origem da Covid

O presidente do Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças (CDC-China) exigiu, neste sábado (8), que a Organização Mundial da Saúde (OMS) tenha um posicionamento “científico e justo” ao investigar as origens da covid-19.

Shen Hongbing disse que que não quer uma politização por parte da OMS ao apurar o surgimento da doença que assolou o mundo e causou a pandemia. O vírus foi registrado pela primeira vez na China, em 2019.

Receba notícias do Conexão Política em tempo real no seu WhatsApp

Receba notícias do Conexão Política em tempo real no seu WhatsApp

PARTICIPE DO CANAL

Ainda de acordo com o chefe do CDC chinês, o governo de Xi Jinping tem sido “aberto e transparente” ao publicar resultados e dados relevantes de estudos sobre as primeiras infecções por covid.

A OMS tem dito que a China esconde evidências que podem vincular o surgimento do coronavírus, pedindo aos cientistas do país comunista que divulguem resultados e dados relevantes.

No entanto, para Shen Hongbing, seu país tem promovido “pesquisas relevantes” e “transparentes” sobre o rastreamento das origens da pandemia.

“Esperamos manter uma atitude científica, manter os cientistas como a força principal e fortalecer o intercâmbio, a cooperação e o compartilhamento de informações, para realizar o rastreamento da origem do vírus em uma trilha científica. Instamos à OMS que as autoridades retomem uma postura científica e imparcial e não se ofereçam ou sejam forçadas a se tornar uma ferramenta para certos países politizarem o rastreamento da origem do coronavírus”, disse ele.

Leia também