Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Judiciário

Bonner e Renata, do JN, são intimados pela polícia a depor por suposta desobediência judicial sobre Caso Queiroz

Rede Globo, Jornal Nacional

Os apresentadores do Jornal Nacional, William Bonner e Renata Vasconcellos, foram intimados a depor por suposto crime de desobediência à ordem judicial com relação a matérias sobre a investigação das “rachadinhas” na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Os depoimentos foram solicitados no contexto de apuração que investiga suposta “desobediência à decisão judicial sobre perda ou suspensão de direito”.

Os mandados de intimação foram emitidos na tarde de quarta-feira (2) e exarados pelo delegado Pablo Dacosta Sartori. A informação é do UOL.

De acordo com o portal, “ambos são intimados a comparecer à sede da DRCI (Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática), no bairro de Benfica, na zona norte do Rio, na próxima quarta (9). Ela, às 14h. Ele, às 14h30.”

Caso os jornalistas deixem de comparecer ao depoimento sem qualquer justificativa, ambos poderão incorrer em “crime de desobediência, previsto no artigo 330 do Código Penal”.

Ao ser procurada, a Globo afirmou que “não se manifesta sobre procedimentos legais em curso”.

Em setembro, a emissora foi proibida judicialmente de publicar informações sigilosas sobre o Caso Queiroz.

A pedido do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), a juíza Cristina Feijó, da 33ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), impediu que o canal de TV veiculasse reportagens que mostrassem documentos sigilosos sobre o parlamentar.

Na ocasião, a Globo condenou a decisão judicial, afirmando que a determinação configura “cerceamento à liberdade de informar, uma vez que a investigação é de interesse de toda a sociedade.”

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Últimas

Público do ex-global deve continuar crescendo ao longo das próximas exibições.

Últimas

Desconto maior de 92% da dívida valerá para 548 mil contratos

Últimas

Saída já era cogitada nos bastidores do jornalismo.

Economia

Mercado financeiro espera por nova alta da Selic para 9,25% ao ano.