Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Judiciário

Com custo de R$ 828 milhões, Fux dá aval a reajuste de 5% para Judiciário

Presidente do STF respondeu a uma consulta feita pela Presidência da República.

Rosinei Coutinho | SCO | STF

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, sinalizou positivamente nesta quinta-feira (12) ao aumento de 5% nos salários de servidores da Justiça brasileira.

O custo para o setor, de acordo com o magistrado, seria de R$ 828 milhões em 2022, a partir de julho. O aval foi dado em um ofício encaminhado à Casa Civil, da Presidência da República, que questionou o chefe do Judiciário sobre a possibilidade de reajuste.

“Em resposta ao questionamento quanto ao interesse do Poder Judiciário da União de ser contemplado na revisão geral, manifesto-me afirmativamente”, diz o documento assinado por Fux.

De acordo com o balanço, a maior parte da verba iria para a Justiça do Trabalho (R$ 326 milhões). Logo em seguida, viria a Justiça Federal (R$ 279 milhões) e a Justiça Eleitoral (R$ 121 milhões). Para os integrantes da Suprema Corte, o benefício custaria R$ 8,4 milhões.

A proposta de correção salarial aos servidores federais foi anunciada em 13 de abril pelo Ministério da Economia. Apesar de se declarar contra a elevação dos vencimentos, Paulo Guedes entende que o reajuste linear de 5% é a “melhor solução”, uma vez que o presidente Jair Bolsonaro (PL) não quer abrir mão de beneficiar setores como a carreira policial.

O impacto ao bolso do pagador de impostos dependerá da data do início da vigência do aumento. Se for em julho, como é previsto, o total será de R$ 6,3 bilhões somente em 2022.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Judiciário

AMB cobra reajuste inflacionário de 40%; Fux avalia que, por ora, não há como analisar o pedido.

Judiciário

Novas diretrizes para realização das provas foram divulgadas em ato normativo do CNJ.

Judiciário

Maior parte das requisições partiu do comércio (43,2%).

Governo

Vice afirmou enxergar 'caminho aberto' para diálogo entre Executivo e Judiciário.