Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Judiciário

Moraes acolhe notícia-crime e inclui Bolsonaro no inquérito das fake news

Investigação vai apurar ‘ataques à legitimidade das eleições’.

Jair Bertolucci | TV Cultura

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), aceitou na noite desta última quarta-feira (4) a notícia-crime encaminhada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Na decisão, Moraes determinou a instauração imediata de investigação sobre a conduta do chefe do Executivo durante uma transmissão ao vivo pelas redes sociais.

Na live, que aconteceu na semana passada, Bolsonaro apresentou vídeos de eleitores que foram às urnas em eleições anteriores apontando supostos indícios de fraudes na utilização do sistema eletrônico.

A investigação tramitará em conjunto com o inquérito que apura a divulgação de “notícias falsas” e “ataques à Suprema Corte”, cujo relator é o próprio Alexandre de Moraes.

O envio da notícia-crime foi feito após o presidente da Corte eleitoral, ministro Luís Roberto Barroso, defender que nunca foi registrada fraude desde a implantação das urnas eletrônicas no país.

Em entrevista à rádio Jovem Pan, transmitida pelo próprio mandatário em seus canais nas redes sociais, Bolsonaro comentou a decisão de incluí-lo na investigação.

“Queremos eleições limpas. Não vai ser o inquérito, agora na mão do senhor querido Alexandre de Moraes, pra tentar intimidar. Lamento o próprio TSE tomar certas medidas para investigar, me acusar de atos antidemocráticos. Eu posso errar, tenho direito a criticar, mas não estamos errados”, declarou.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Governo

Mandatário manifestou preocupação sobre o assunto.

Judiciário

PDT, PCB e PSOL questionam dispositivos da lei sancionada em julho de 2020.

Política

Presidente da CCJ não definiu data, mas arguição deve ocorrer na semana que vem.

Últimas

Ministro determinou avaliação de saúde do ex-médico, condenado por diversos estupros.