Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Judiciário

MPF avalia instalação de câmeras em fardas de agentes da PRF

Secretarias de segurança deverão se manifestar em 15 dias.

Gabriel Orosco | Flickr

O procurador da República Flávio Matias, que coordena a atividade policial em Sergipe, instaurou um procedimento para avaliar a necessidade de instalação de câmeras de vídeo nas fardas dos agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O objetivo do representante do Ministério Público Federal (MPF) é acompanhar as atividades dos policiais e inibir a violência durante as abordagens.

A sugestão foi feita no âmbito da investigação que apura a morte de Genivaldo de Jesus Santos. Em um vídeo que circula nas redes sociais, o homem aparece trancado em uma viatura que continha gás lacrimogêneo em seu interior.

“A análise do uso de câmeras se mostra ainda mais necessária […] se considerarmos o teor da primeira nota divulgada à imprensa pela PRF a espeito da morte de Genivaldo de Jesus, na qual foram prestadas informações posteriormente contrariadas pelas gravações realizadas por pessoas que presenciaram a trágica abordagem, somente depois vindo a PRF a mudar de postura e a recriminar os graves atos praticados por seus agentes nesse caso concreto”, diz a nota da Procuradoria.

No despacho, o procurador determina que as secretarias de segurança pública das 27 unidades federativas sejam oficiadas para que prestem informações sobre o uso de câmeras de vídeo corporais por seus agentes. As pastas têm 15 dias para responder ao MPF.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Judiciário

Decisão foi proferida após pedido do Ministério Público Federal.

Últimas

Corporação abriu processo disciplinar contra os agentes envolvidos no caso.

Últimas

Projeto prevê a criação de um centro cultural e a restauração da gare e do pátio de plataformas.

Últimas

Carga está avaliada em mais de R$ 2 milhões, segundo policiais

----- CLEVER ADS -----