Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Judiciário

Por ordem de Moraes, Daniel Silveira é preso novamente no Rio de Janeiro

Deputado já havia sido detido em fevereiro deste ano. Ele cumpria, desde março, prisão domiciliar.

Vinicius Loures | Agência Câmara

O deputado federal Daniel Silveira foi preso na tarde desta quinta-feira (24) no Rio de Janeiro, por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Acusado de violar o uso da tornozeleira eletrônica, o parlamentar cumpria regime domiciliar, e não poderia deixar a residência.

A autorização para ficar preso em casa ocorreu em razão da pandemia da Covid-19.

Moraes acolheu manifestação da Procuradoria-Geral da República (PGR), que apontou cerca de 30 violações ao dispositivo eletrônico.

“O requerido foi advertido em todas as respectivas ocorrências acerca da necessidade do devido carregamento do aparelho. A falta de funcionamento do equipamento esvazia o propósito do monitoramento eletrônico, pois acarreta a perda de comunicação com a central. A inobservância do dever de manter o equipamento com a carga, mesmo advertido, não se apresenta sustentável”, diz trecho da petição feita pela PGR.

O ministro do Supremo assegurou ainda que o restabelecimento da prisão preventiva é necessário, considerando o descumprimento de Silveira em torno das normas impostas pela Justiça.

“No caso em análise, está largamente demonstrada, diante das repetidas violações ao monitoramento eletrônico imposto, a inadequação da medida cautelar em cessar o periculum libertatis do denunciado, o que indica a necessidade de restabelecimento da prisão, não sendo vislumbradas, por ora, outras medidas aptas a cumprir sua função como bem salientado pela PGR”, escreveu  Moraes.

Comentários

FALE COMIGO: raul@conexaopolitica.com.br — diretor de redação do Conexão Política e natural de Recife (PE).

Judiciário

Fux diz que eventual derrubada de plenário virtual pode trazer 'colapso' ao Judiciário.

Judiciário

Ministro conduzirá trabalhos do colegiado por um ano, a partir de agosto.

Política

Deputado estadual paranaese foi destituído pelo TSE por divulgar fake news.

Judiciário

Em julgamento na 2ª Turma, prevaleceram os votos dos ministros Fachin, Lewandowski e Gilmar.

----- CLEVER ADS -----