Conecte-se conosco

Judiciário

Secretário de Saúde é preso por fraude na compra de equipamentos de combate à Covid-19

Publicado

em

Tânia Rêgo | Agência Brasil

O secretário de Saúde de Itatiaia/RJ, Marcos Vinícius Gomes, foi preso preventivamente nesta quinta-feira (29), durante a Operação Apanthropia, que apura fraudes na compra de equipamentos de proteção individual (EPI) para uso hospitalar, principalmente para o combate à pandemia da covid-19.

Ele foi levado para a 99ª DP, que começou as investigações em conjunto com o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), após receber denúncias sobre possíveis irregularidades em contrato emergencial envolvendo o órgão.

Também foram cumpridos quatro mandados de prisão, entre eles o de um ex-secretário de Planejamento da cidade, que foi encontrado em casa, em um condomínio do Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste do Rio.

Foram cumpridos outros 17 mandados de busca e apreensão em endereços ligados a integrantes do grupo e a pessoas próximas aos denunciados. Todos as ordens foram expedidas pela 1ª Vara Criminal Especializada da capital fluminense.

De acordo com a Polícia Civil, as apurações mostraram que “notas fiscais relativas ao contrato tinham sido atestadas sem o efetivo recebimento dos produtos constantes nos documentos”.

“As investigações evoluíram e foram reveladas evidências de diversos crimes praticados por grupo criminoso, incluindo estelionato, extorsão e falsidade ideológica”, informou a corporação.

OUTRO LADO

A prefeitura de Itatiaia informou em nota que o processo para a aquisição de Equipamentos de Proteção Individual foi feito em consonância com a legislação especial para compras no período da pandemia.

“De acordo com a Secretaria de Saúde, os lotes de EPIs efetivamente pagos ao fornecedor já foram colocados à disposição do município”, diz o texto.

No entendimento da prefeitura, “o objetivo da compra foi preservar a saúde dos profissionais que trabalham na linha de frente do combate à covid-19 na rede pública de saúde, pois os estoques estavam praticamente zerados no início do ano, colocando assim em risco a vida dos servidores”.

O Executivo municipal assegurou que não compactua com nenhum tipo de desvio de recursos públicos e está à disposição das autoridades para ajudar nas investigações.

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).