Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Judiciário

“Tem um cheiro de ingovernabilidade no ar”, teria dito ministro do STF

Partidos de oposição têm buscado êxito no processo impeachment contra o presidente da República.

Jair Bolsonaro
Isac Nóbrega | PR

Um dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) teria dito a Guilherme Amado, do portal Metrópoles, que o governo se aproxima de um cenário de ingovernabilidade.

O ministro, segundo o colunista, falou sob a condição de anonimato. No entanto, o jornalista fez questão de frisar que se trata de alguém próximo ao presidente Jair Bolsonaro, com quem busca manter diálogo.

O Brasil, na visão do magistrado, tem vivido um cenário delicado. Ele teria pontuado três fatores preocupantes: ausência de uma estratégia nacional de vacinação; suspeita de corrupção que tem sido erguida contra o governo e, além disso, um descontrole retórico do presidente da República.

“Tem um cheio de ingovernabilidade no ar. A pandemia segue sem controle. A situação do governo no Senado já mostra que não há mais maioria. A privatização da Eletrobras passou raspando. A CPI está descontrolada. Na Câmara, o voto impresso, principal causa do presidente hoje, será derrotado. Caminha-se para Bolsonaro não conseguir mais governar”, teria dito um dos 11 ministros do Supremo.

Apesar da fala, a possibilidade de um impeachment contra o chefe do Executivo parece ser cada vez menor.

Ao falar sobre eventual afastamento de Bolsonaro, o ministro teria destacado que o período eleitoral se aproxima. Desse modo, o processo de deposição não representaria ‘sentido’.

“O impeachment da Dilma [Rousseff] deixou um trauma. Fazer outro impeachment agora seria difícil. E não faria sentido sendo a eleição daqui a um ano”, teria acrescentado o magistrado.

Comentários

FALE COMIGO: raul@conexaopolitica.com.br — diretor de redação do Conexão Política e natural de Recife (PE).

Judiciário

Corte definiu que trabalhador com acesso gratuito à Justiça não deve pagar honorários.

Política

Governo tem demonstrado preocupação com o aumento da pobreza no país.

Judiciário

O resultado é de cinco votos a zero pela manutenção da prisão.

Governo

Presidente informou que o veto ocorreu após pareceres de ministérios.