Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Judiciário

TSE prevê gastar quase R$ 800 milhões com novo modelo de urna eletrônica para 2022

Barroso apresentou a nova versão do dispositivo que será usado durante o pleito do ano que vem.

Imagens: Abdias Pinheiro (SECOM | TSE)

O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), apresentou nesta última segunda (13) o novo modelo de urna eletrônica que será usado nas eleições de 2022.

O lançamento foi feito em Manaus (AM), na fábrica da Positivo Tecnologia, empresa responsável pela produção dos equipamentos após ganhar a licitação em proposta orçada em R$ 799 milhões, de acordo com o portal Correio Braziliense.

A Corte ressalta, em nota oficial, que o valor exato a ser aplicado nas compras depende de disponibilidade orçamentária, o que significa que uma quantia menor poderá ser utilizada.

Conforme a licitação, 577 mil urnas serão utilizadas nas eleições previstas para outubro do ano que vem. Desse montante, 225 mil serão do novo modelo. A entrega está prevista para o mês de maio e a vida útil do equipamento é de dez anos.

Entre as novas funcionalidades, está a maior duração das baterias, processadores mais rápidos e o terminal do mesário com comandos sensíveis ao toque (tela touch).

Durante o evento, Barroso voltou a defender o sistema eletrônico e garantiu que a plataforma de votação é segura.

“Estamos trabalhando para proteger os sistemas do TSE quase por uma questão de imagem, porque, quanto ao conteúdo, não tem como fraudar as eleições”, assegurou.

“Nós todos estamos nos aperfeiçoando com os mecanismos de proteção. Isso se tornou um problema relevante nos últimos dois, três anos. Na verdade, ataques cibernéticos do porte que temos visto são fenômenos recentes”, disse.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Política

Todos devem cumprir a legislação eleitoral para apto ao pleito deste ano.

Política

Pedido de votos e propaganda eleitoral antecipada não serão permitidos.

Últimas

Corte cassou registro e diploma de candidatos envolvidos em fraude de cota de gênero.

Últimas

Novo pleito deverá ser coordenado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais.