Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Biden anuncia plano de vacinação obrigatória que afeta 100 milhões de trabalhadores nos EUA

Medida vale para funcionários federais e empresas com mais de 100 colaboradores.

Gage Skidmore | Flickr

O presidente dos Estados Unidos da América (EUA), Joe Biden, anunciou nesta última quinta-feira (9) que vai exigir que todos os funcionários da esfera federal sejam vacinados contra a covid-19.

Além disso, o Departamento de Trabalho vai divulgar regra para exigir que empresas com mais de 100 funcionários vacinem seus empregados ou os testem semanalmente.

As novas medidas da Casa Branca cobrem cerca de dois terços de todos os trabalhadores do país. A decisão é uma tentativa mais ampla e agressiva de conseguir impor a vacinação a todos os norte-americanos.

“Estamos em um momento difícil e ele pode durar um tempo”, disse Biden, ao comentar sobre a variante Delta. “Podemos e vamos virar o jogo contra a covid-19”, acrescentou.

De acordo com o plano do mandatário, o governo também vai exigir a vacinação de mais de 17 milhões de profissionais de saúde em hospitais e outras instituições que participam de programas de auxílio e cuidados médicos para os mais pobres, mais velhos ou com deficiência.

As novas exigências de vacinação cobrem cerca de 100 milhões de pessoas, ou aproximadamente dois terços dos trabalhadores dos Estados Unidos, disseram autoridades.

O projeto, contudo, deve enfrentar disputas jurídicas, e já foi alvo de críticas por parte da oposição republicana e defensores da liberdade individual.

Agora, funcionários do governo federal têm 75 dias para tomar a vacina. Caso contrário, enfrentarão a possibilidade de demissão se não estiverem dentro das poucas categorias de exceção.

Comentários

FALE COMIGO: marcos@conexaopolitica.com.br — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).

Governo

Governo 'busca consolidar a imagem como ambiente seguro para se fazer negócio'.

Política

Polícia Federal diz que 90 são menores de idade

Mundo

Juiz argumentou que a governadora não poderia determinar tal medida sem consulta ao Legislativo.

Mundo

Decisão foi tomada pelo republicano em seu primeiro dia de mandato.