Siga-nos nas redes sociais

Digite o que você procura:

Mundo

Casal cubano é preso por educar em casa seus filhos

Marido e mulher, ambos pastores cristãos em Cuba, estão cumprindo sentenças de prisão por se recusarem a enviar seus filhos para uma escola administrada pelo governo socialista cubano, onde sua filha foi intimidada por ser cristã. O casal praticava o ensino domiciliar, o chamado homeschooling.

A república socialista cubana – que é organizada segundo o modelo marxista-leninista e liderada pelo único partido político oficial do país, o PCC (Partido Comunista Cubano) – proíbe a prática do ensino domiciliar.

Sentenças

O Morning Star News relatou que o pastor Ramón Rigal foi condenado a 2 anos de prisão em abril, por educar seus dois filhos em casa e por liderar uma igreja não-registrada. Ele também foi condenado por “associação ilícita”, uma vez que a Iglesia de Dios (Igreja de Deus) não está registrada no Registro de Associações do Ministério da Justiça.

A esposa de Rigal, Ayda Expósito, cumpre pena de 18 meses em uma prisão feminina, por se recusar a educar seus filhos em escolas administradas por um governo marxista-leninista- a única opção legal em Cuba.

Perseguição marxista
Outro casal, da mesma igreja, também foi preso por manter seus filhos fora das escolas cubanas. Segundo o jornal Morning Stars News, várias outras famílias cristãs também foram presas, por não enviarem seus filhos para estas escolas públicas marxista-leninista e praticarem o homeschooling.

Em abril passado, o Tribunal Municipal Popular de Guantánamo condenou Rigal e Expósito, por violar uma lei de evasão cubana. A pena de violação da lei é de 3 meses a um ano de prisão e uma multa de 100 a 300 pesos cubanos.

Os pastores já haviam cumprido um ano de prisão domiciliar por educação em casa, em 2017. Os filhos do casal estavam completando seus estudos on-line, através de um programa gratuito, oferecido por uma escola cristã particular na Guatemala, conhecida como International Hebron School.

Bullying
O site de notícias da América Latina Evangélico Digital informou que, em junho passado, Ruth e seu irmão estavam felizes com a escola on-line em casa.

“Eles colocaram minha mãe e meu pai na prisão … e não pensaram em nós, que somos menores, que precisamos de minha mãe e meu pai juntos”, disse Ruth.

Em um vídeo recém-lançado postado no YouTube e produzido por uma revista audiovisual cubana chamada ADN, a filha de Rigal-Expósito, Ruth, falou sobre suas lutas constantes na escola pública cubana.

Assita ao vídeo de Ruth, publicado pela ADN.

No vídeo em espanhol, a menina lamenta que sua família esteja dividida. Além de seus pais estarem separados em duas prisões diferentes, seu irmão de 9 anos vive com os avós do lado da mãe, enquanto ela fica com a avó paterna.

“Tudo começou quando eu estava na 4º série; sofri bullying na escola porque era cristã. Fui empurrando com a barriga, então ele [o pai de Ruth] decidiu me tirar da escola. Eles começaram a nos perseguir, a nos ameaçar, dizendo que se não fôssemos à escola, eles nos levariam à casa de filhos sem proteção dos pais, e eles colocariam meus pais na cadeia”, disse Ruth.

Membros da família Rigal-Expósito afirmaram que o bullying contra as crianças surgiu de um histórico comunista do governo cubano, que promove o desprezo pelos cristãos.

Comentários

Correspondente internacional na Europa.

Mundo

Opositores de Daniel Ortega estão em condições desumanas na prisão.

Mundo

Nova resolução do regime comunista visa inibir publicações que atinjam dirigentes do governo cubano.

Mundo

Algumas famílias seguem sem notícias de parentes.

Política

Internautas interpretaram a postagem de Wanming como uma eventual resposta à declaração feita por Jair Bolsonaro.